Exame Invest
BTG Insights

Bitcoin é arriscado? Veja como investir com segurança

PUBLICADO EM: 11.6.21 | 15H17
ATUALIZAÇÃO: 11.6.21 | 15H21
Conheça uma estratégia de investimento na criptomoeda para quem deseja investir nesse mercado sem risco de custódia

Fundo de investimento especializado é opção para quem busca mais segurança (Getty Images/Science Photo Libra)

Foto de Vanessa Daraya da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Vanessa Daraya

Repórter da EXAME especializada em finanças e negócios. Jornalista formada pelo Mackenzie, com passagens pela Editora Abril e Grupo Globo.



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Recentemente, um ataque cibernético sofrido pela Colonial Pipeline, empresa que administra oleodutos nos Estados Unidos, despertou a atenção do mercado financeiro. O motivo: os hackers exigiram o pagamento do resgate em bitcoin, e o FBI conseguiu recuperar parte das criptomoedas. Mas, afinal, elas não seriam irrastreáveis? É realmente seguro investir na moeda?

Invista em bitcoin com uma estratégia inédita no mercado brasileiro e apoio do maior banco de investimentos da América Latina. Abra sua conta.

As transações em bitcoin são registradas no chamado blockchain, sistema que funciona como um grande banco de dados. É um histórico de troca de informações que não podem ser alteradas, revisadas ou adulteradas — o que garante uma maneira segura e transparente de manter um registro auditável em tempo real dessas movimentações. E as autoridades podem, sim, rastrear os pagamentos para identificar atividades criminosas.

Mas há outro fator que costuma preocupar quem deseja investir em bitcoin: o risco de custódia. Vamos explicar a seguir.

Como investir em bitcoin com segurança

Ao investir diretamente em bitcoin, você pode armazenar o saldo em uma carteira digital de uma exchange, corretora especializada em criptoativos. Na plataforma, é possível depositar seus reais e convertê-los em criptoativos.

Mas muitas corretoras costumam armazená-los em poucas carteiras, algumas vezes multimilionárias, e que atraem hackers mal-intencionados. Caso a corretora não tenha um fundo para usar em situações emergenciais como um roubo e arcar com as perdas, elas acabam sendo socializadas entre todos os usuários com saldo na plataforma.

Portanto, caso queira investir em uma exchange, lembre-se de ter cuidado ao escolher para ter certeza de que a empresa é idônea. Mas, se estiver em busca de uma opção mais segura, pode optar por um fundo de investimento especializado.

Fundos de bitcoin

Eles funcionam como os fundos multimercado ou de ações, em que há um gestor que fica responsável por tomar as decisões de alocação por você. São cobradas taxas de administração e, em alguns casos, de performance, de acordo com a valorização do fundo.

O BTG Pactual, por exemplo, oferece o BTG Pactual Bitcoin 20 Fundo de Investimento Multimercado, com valor mínimo de 1 real para o investimento. Ele está disponível na plataforma do banco para todos os clientes e é isento de taxa de performance. Já a taxa de administração é de 0,50% ao ano, enquanto a liquidez é D+3 (três dias úteis após a solicitação).

O fundo é composto de 20% de bitcoin e 80% em renda fixa. Deste volume, 55% é alocado em títulos do Tesouro Selic, 20% em Certificados de Depósito Bancário (CDB) e 5% em operações compromissadas.

Há também uma segunda opção de fundo, o BTG Pactual Bitcoin 100 FIC FIM. Ele é feito para investidores qualificados que desejam investir em um fundo que aplica 100% do patrimônio em bitcoin, com aporte mínimo de 1.000 reais.

O percentual investido em bitcoin de cada um dos fundos segue uma regra da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que permite o investimento integral em criptomoedas apenas para fundos destinados a pessoas físicas ou jurídicas com mais de 1 milhão de reais investidos. Ou para investidores profissionais, com mais de 10 milhões de reais aplicados.

As duas opções representam, portanto, uma boa via de acesso ao mercado. Afinal, o investidor consegue expor seu patrimônio à valorização da criptomoeda sem ter de se preocupar com o melhor momento de compra ou de venda e, em especial, com a custódia dos ativos.

Guia de Bitcoin para Iniciantes

Para ajudar os interessados em bitcoin, a EXAME lançou o Guia de Bitcoin para Iniciantes em parceria com o BTG Pactual digital. São seis capítulos desenvolvidos numa linguagem descomplicada e direta ao ponto.

No material, o investidor aprende a investir na prática para potencializar seus ganhos e diversificar sua carteira de maneira simples e prática. Faça o download do e-book e descubra tudo que precisa saber para investir em bitcoin.

Foto de Vanessa Daraya da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Vanessa Daraya

Repórter da EXAME especializada em finanças e negócios. Jornalista formada pelo Mackenzie, com passagens pela Editora Abril e Grupo Globo.


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame