Exame Invest
BTG Insights

BTG lança câmbio online; veja quanto custa enviar dinheiro para o exterior

PUBLICADO EM: 17.2.21 | 17H36
ATUALIZAÇÃO: 10.3.21 | 16H19
Ferramenta já em funcionamento no portal do BTG Pactual digital permite o envio de remessa para conta de mesma titularidade no exterior

Além da novidade, BTG oferece serviço dedicado para operações mais complexas e estruturadas de envio de dinheiro para o exterior

Foto de Vanessa Daraya da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Vanessa Daraya

Repórter da EXAME especializada em finanças e negócios. Jornalista formada pelo Mackenzie, com passagens pela Editora Abril e Grupo Globo.



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Os clientes do BTG Pactual digital já podem enviar dinheiro para o exterior por meio do site do banco. A ferramenta permite o envio de remessa como disponibilidade – ou seja, para uma conta de mesma titularidade no exterior –, com valores de até 3.000 dólares ou 2.600 euros. Agora, o banco se prepara também para liberar a ferramenta no aplicativo.

Antes, o envio e o recebimento de remessas internacionais só eram permitidos pela mesa de câmbio. Por isso, Roberta Pires, diretora associada à área de câmbio do BTG Pactual, destaca que, apesar da novidade, os clientes ainda podem realizar outras operações na mesa de câmbio.

“Os clientes conseguem enviar ou receber em mais de 15 moedas, via mesa de câmbio”, explica. “Se tem uma conta no BTG e precisa pagar um hotel no exterior, fazer intercâmbio, fazer um curso, comprar um imóvel, por exemplo, pode fazer pelo banco”, explica Pires.

Quanto custa enviar dinheiro para o exterior?

 

Uma pessoa que costuma viajar para o exterior e tem conta em outro país, por exemplo, pode economizar com o câmbio online. “Ao fazer as compras no cartão de crédito fora do país, é preciso pagar 6,38% de Imposto sobre Operações Financeiras, o IOF”, explica Pires. “Ao enviar a remessa, o cliente sabe exatamente qual é o custo do valor da moeda e ainda paga apenas 1,10% de IOF”, diz.

Além do IOF, há a tarifa de contrato. No caso do BTG, o custo é de 45 reais pelo envio pela ferramenta de câmbio online. Caso opte pela mesa de câmbio, o valor cobrado é de 90 reais. Portanto, se a remessa for de até 3.000 dólares ou 2.600 euros, vale mais a pena fazer o envio pelo portal.

Mas Pires alerta que, para economizar ao máximo, a dica é sempre olhar o Valor Efetivo Total da operação (VET), disponível para visualização no momento da cotação nas plataformas de remessa online. Ele apresenta o custo final da cotação, com todos os impostos e tarifas inclusos.

“Muitas vezes, o cliente só olha a taxa de câmbio ou apenas a tarifa. A taxa pode ter uma variação e parecer mais baixa em alguns serviços, mas a tarifa pode ser mais alta. Ou a tarifa pode não ser cobrada, mas a taxa ser mais alta”, explica. “A plataforma que apresenta o melhor VET é a que compensa”, afirma.

Banco oferece serviço dedicado de câmbio

 

Além da novidade no portal do BTG, Pires destaca o serviço dedicado do BTG para operações mais complexas e estruturadas de envio de dinheiro para o exterior. "O mesmo conhecimento que temos para falar de investimento, temos para falar de câmbio", afirma.

Ela explica que os clientes podem sinalizar que desejam ser atendidos por assessores do banco ao acessar a plataforma. Há também a opção de ligar para o banco caso queira fazer remessas maiores, de outras naturezas, para ter um atendimento dedicado.

A partir disso, o assessor busca entender com o cliente o objetivo do câmbio para oferecer a solução mais adequada. Em alguns casos, por exemplo, há opções mais vantajosas do que o envio por disponibilidade, que pode ser realizado pelo portal.

“Se o cliente buscar o serviço de disponibilidade para a compra de um imóvel, por exemplo, vamos mostrar que ao fechar o contrato e mandar direto para o vendedor, em vez de enviar para a sua própria conta, o IOF será de 0,38%, não de 1,10%”, explica. Ou seja, dependendo do tipo de transação, é possível economizar. “Faz diferença ter o suporte de pessoas que vão de fato ajudar você a estruturar a operação com máxima eficiência”, finaliza.

Foto de Vanessa Daraya da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Vanessa Daraya

Repórter da EXAME especializada em finanças e negócios. Jornalista formada pelo Mackenzie, com passagens pela Editora Abril e Grupo Globo.


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame