"Apple da agricultura urbana", startup Yes, We Grow capta R$ 3 milhões | Exame Invest
Exame Invest
ESG

"Apple da agricultura urbana", startup Yes, We Grow capta R$ 3 milhões

PUBLICADO EM: 28.4.21 | 14H29
ATUALIZAÇÃO: 29.4.21 | 14H14
Com a captação, empresa quer ampliar alcance nacional e levar o cultivo orgânico para dentro dos apartamentos de todo o país

João Levy e Rafael Pelosini, fundadores da Yes, We Grow: startup recebeu aporte de R$ 3 mi e quer se tornar a Apple da agricultura urbana

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

A Yes, We Grow, startup de agricultura urbana, acaba de receber um aporte de 3 milhões de reais, em uma rodada liderada pela Anjos do Brasil, Gávea Angels e também por investidores independentes.

Fundada em 2019 pelo empreendedor Rafael Pelosini, a Yes We Grow tem como objetivo aproximar moradores de grandes centros urbanos da natureza ao resgatar o hábito de cultivar seus próprios alimentos em casa. A startup faz isso ao vender kits orgânicos por meio do e-commerce para que as pessoas possam plantar e colher com facilidade em suas próprias casas.

A ideia veio após Pelosini perceber um interesse crescente de pessoas que desejavam apoiar pequenos comércios e adotar hábitos mais saudáveis ao abolir o consumo de agrotóxicos e outros insumos agrícolas, ao mesmo tempo em que resgatavam um hábito incomum às grandes cidades.


Recomendado para você

“Sabemos que hoje falta bastante consciência ecológica”, disse. “A ideia é manter o manuseio simples. Queremos entregar design e cultivo, para que as pessoas entendam que podem cultivar seus legumes, ervas e o que mais quiserem de maneira simples e sem sujeira”, diz.

Os principais produtos da startup são os kits brotos e mudas, pequenas caixas com sementes que desabrocham em até 20 dias e que procuram quebrar a barreira do primeiro cultivo. Os vasos são autoirrigáveis e sem uso de terra. Além do varejo digital, os produtos também estão nas lojas das redes Petz e supermercados BIG, nas cidades de Pernambuco, São Paulo, Porto Alegre e Curitiba. Atualmente, a startup também está trabalhando em um projeto piloto de lojas com o Grupo Pão de Açúcar (GPA).

Essa é a terceira de captação da empresa desde o início das operações. A primeira delas, no início de 2019, mobilizou 300.00 reais e a segunda, ao final daquele ano, captou o montante de 800.000 reais e reuniu nomes como Pedro Vilares, ex-presidente do Instituto Natura, e a investidora social Kim Machlup.

As mudanças dos hábitos de consumo e o maior tempo em casa durante a pandemia de covid-19 impulsionaram o desempenho da startup em 2020, que ampliou a sua base de clientes em vinte vezes, segundo João Levy, diretor de operações e cofundador da Yes, We Grow. “Pessoas que passaram mais tempo dentro de casa  quiseram deixar o ambiente mais harmonioso, além de manter hábitos mais saudáveis. Isso foi muito positivo para nós”, diz.

Com o novo aporte, a empresa quer ampliar a capilaridade em todo o país - hoje, 60% de todo faturamento ainda vem do Sudeste. O valor também servirá para acelerar a criação de novos produtos, com ainda mais tecnologia e para a contratação de novos profissionais

A longo prazo, a startup quer se internacionalizar e investir na abertura de pontos de venda offline. A expectativa dos empreendedores é faturar 7 milhões de reais até o final deste ano e multiplicar esse valor em sete vezes até 2020, com 53 milhões de reais de receita. “Queremos ser a Apple da agricultura urbana, com lançamentos de linhas periódicas e crescimento exponencial”, conclui Pelosini.

Quer conhecer as principais tendências do empreendedorismo do Brasil e mundo? Assine a EXAME e saiba mais.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame