ESG

Azul vai reciclar 103 toneladas de plástico dos "lanchinhos de bordo”

PUBLICADO EM: 21.3.21 | 10H00
ATUALIZAÇÃO: 19.3.21 | 11H44
Empresa anunciou que irá compensar ambientalmente 100% do lixo plástico das embalagens de salgadinhos servidos nos voos ao longo de 2020
Avião da Azul aviação regional

Azul: companhia aérea quer compensar mais de 100 toneladas de lixo plástico gerado em 2020 (NurPhoto via Getty Images)

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Com a preocupação ambiental batendo à porta das companhias aéreas, a Azul anunciou que irá dar um passo adiante na economia circular e reciclar 100% das embalagens de material plástico dos salgadinhos consumidos em suas aeronaves. Serão recicladas todas as embalagens de lanches de bordo consumidos em voos da companhia em 2020. O total, segundo a Azul, é de 103 toneladas.

Para a ação, a Azul irá se unir a eureciclo, iniciativa global de compensação ambiental de embalagens. Por meio dessa parceria, a Azul vai garantir que a mesma quantidade  de resíduos descartados após os voos no último ano sejam reciclados por cooperativas de reciclagem em cada estado do Brasil onde há operações da aérea. Além da união com cooperativas regionais, as embalagens de salgados virão com um selo especial que demonstram o comprometimento da empresa com o meio ambiente.

Segundo a Azul, a quantidade de resíduos que vai para cada uma das cooperativas é proporcional ao número de assentos ofertados em voos que partiram de cada localidade do país. Ao todo, serão 26 estados envolvidos no recebimento de materiais, entre eles Amazonas, Alagoas, Piauí, São Paulo e Rio de Janeiro. Mais da metade dos resíduos serão reciclados em São Paulo, Pernambuco e Minas Gerais, estados que concentram o maior volume de voos.

A solução é uma maneira de formalizar a indústria de reciclagem nacional, remunerar profissionais do setor e reforçar o compromisso da Azul com a sustentabilidade e os objetivos de desenvolvimento sustentável, segundo Danielly Mello Freire, gerente de sustentabilidade da Azul. “Obter o selo eureciclo ao realizar a compensação ambiental é um movimento de consciência e de cuidado com nosso planeta e reforça a posição da Azul em promover ações que preservem o ambiente em que vivemos. Além de aumentarmos a taxa de reciclagem no país em prol do meio ambiente, diminuímos o impacto do pós consumo e geramos incentivos para desenvolver a cadeia de reciclagem“, diz.

Além das embalagens, neste ano a Azul também prevê a criação de um programa de economia circular para os uniformes da tripulação. Para dar sustentação a esse e outros projetos, a Azul está lançando a Faculdade de Sustentabilidade, braço da universidade corporativa da companhia que irá ofertar cursos gratuitos aos tripulantes aplicados pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame