Exame Invest
ESG

Brisanet traz investimento de impacto para a B3

PUBLICADO EM: 6.9.21 | 6H00
ATUALIZAÇÃO: 5.9.21 | 11H08
José Roberto Nogueira, fundador da operadora, só teve luz elétrica aos 13 anos. Hoje, sua empresa de tecnologia vale mais de 5 bilhões de reais

A Brisanet tem 754.000 clientes atualmente, é o 4º maior provedor em banda larga no país segundo a Anatel, e ganhou o selo de qualidade do “Reclame Aqui”

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Renata Faber

José Roberto Nogueira nasceu em Pereiro, interior do Ceará, o 11º filho de uma família que vivia da agricultura de subsistência. Apenas quando tinha 13 anos o rádio chegou em sua casa, e a luz elétrica virou uma realidade quando tinha 16 anos. Talvez por ser algo tão distante de sua realidade enquanto criança e adolescente, a tecnologia sempre fascinou José Roberto. Hoje, aos 55 anos, Roberto (como gosta de ser chamado) é CEO da Brisanet, empresa que fundou na década de 1990 e que hoje vale mais de 5 bilhões de reais na B3.

A Brisanet surgiu com o propósito de levar internet de qualidade e com preço acessível às cidades desprovidas de acesso. Com planos a partir de 73 reais por mês, a Brisanet opera em sete estados do Nordeste e tem mais de 7.500 funcionários. A Brisanet tem 754.000 clientes atualmente, é o 4º maior provedor em banda larga no país segundo a Anatel, e ganhou o selo de qualidade do “Reclame Aqui”.

O começo

Roberto saiu de Pereiro no final de 1986, aos 21 anos, em busca de conhecimento. Assim que chegou em São Paulo, vendia roupa de porta em porta, e depois começou a trabalhar com manutenção. Em janeiro de 1989, o autodidata que estudou eletrônica por correspondência no Instituto Universal Brasileiro, começou a trabalhar na Embraer.

Ao final de seu primeiro ano na Embraer, abriu uma empresa de manutenção de computadores, em São José dos Campos. No final de 1990, montou uma pequena fábrica de antenas parabólicas, que funcionava no fundo da loja de manutenção. Planejava construir antenas para mandar para o Nordeste.

No início de 1992, levou um computador para Pereiro, mas não conseguiu vender, porque não tinha usuário. Sem desanimar, nesse mesmo ano levou 30 computadores para a cidade de Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte, e montou uma escola de informática, com o objetivo de preparar mão de obra e estimular o mercado de venda de computadores.

Com os negócios começando a crescer, no final de 1992 saiu da Embraer.

Em 1997, a internet começava no Brasil, e Roberto se viu com o desafio de desenvolver uma tecnologia de baixo custo, capaz de levar a internet a uma área economicamente inviável. Foi então que ele desenvolveu a internet via rádio. As placas de rádio dentro dos computadores eram feitas para interligar máquinas em um raio de 30 metros. Mas Roberto adaptou suas antenas parabólicas, e fez com que o alcance das placas atingisse 90 quilômetros.

Estava criada a primeira operação de internet via rádio no Brasil, com baixo custo. O interior do Nordeste não estava pronto para essa nova tecnologia, mas Roberto insistia em trazer desenvolvimento para a região. No ano 2000, a Brisanet servia entre 15 e 20 cidades e, em cada uma delas, tinha entre 15 e 20 assinantes. Quando a tecnologia de internet via rádio começou a apresentar suas limitações, Roberto percebeu que era hora de investir em fibra. Em 2011, a Brisanet se tornou o primeiro provedor de fibra nacional e Pau dos Ferros (RN), foi a primeira cidade no Brasil a ser totalmente “fibrada”.

Quando deixou o Nordeste no final da década de 1980, o plano de Roberto era voltar depois de dois anos, levando progresso para sua região. Retornou apenas 20 anos depois, quando a Brisanet já tinha uma operação estabelecida, e Roberto entendeu que sua presença ajudaria a empresa a crescer e mudar de patamar.

Investimento de impacto

Investimentos de impacto são aqueles que buscam gerar impacto social e/ou ambiental positivo, além de trazer retorno financeiro positivo. Ao buscar resolver problemas sociais ou ambientais de forma lucrativa, uma empresa consegue escalar seu poder de solucionar importantes questões.

“Problema tem de ser resolvido gerando negócio, pois daí o problema desaparece e você traz solidez. Resolver problema gerando negócio é sustentável”, explica Roberto.

Oferecer internet de qualidade por um preço acessível faz com que as famílias tenham oportunidades de estudo, de comprar (e vender) produtos e de se conectar. Além disso, a operação da Brisanet também gera emprego qualificado para as pessoas da região.

“A sede da Brisanet está localizada na mesma roça de onde eu saí no final da década de 1980 e, do nosso total de 7.500 funcionários, mais de 3.000 estão localizados a um raio de 20 quilômetros daqui”, explica Roberto.

Atualmente as contratações da Brisanet estão superando 300 pessoas por mês, e a estratégia da empresa é treinar a mão de obra local. “Qualquer área do planeta tem pessoas capazes de desenvolver qualquer coisa. Qualquer pessoa que tiver uma oportunidade, pode avançar, e é nosso papel como empresa dar essas oportunidades”, explica Roberto. “Hoje temos o maior know-how do Brasil em construção e operação de rede de fibra óptica, e isso foi construído com pessoas do centro do semiárido”.

Além de desenvolver a região, a mão de obra se tornou o principal pilar da Brisanet, na opinião de seu CEO. “Temos muito conhecimento acumulado, e conseguimos formar uma cultura de engajamento, inovação e excelência no atendimento. A maioria da liderança foi formada com funcionários que fizeram carreira na Brisanet, que tiveram aqui seu primeiro emprego. E são funcionários da região, que vão continuar contribuindo para o desenvolvimento do nosso semiárido”, orgulha-se Roberto.

  • Ouça o podcast ESG de A a Z e fique por dentro de tudo que acontece no capitalismo de stakeholder

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame