Exame Invest
ESG

BTG Pactual integra fórum de divulgações financeiras ligadas à natureza

PUBLICADO EM: 22.10.21 | 7H00
ATUALIZAÇÃO: 21.10.21 | 16H54
BTG Pactual é o único banco privado brasileiro no Taskforce for Nature-Related Financial Disclosure (TFND). Novidade reforça importância do ESG
BTG Pactual

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O BTG Pactual é o novo integrante do fórum do Taskforce for Nature-Related Financial Disclosure (TFND), composto por empresas e entidades que acompanham as discussões para a mensuração de riscos e oportunidades ligados à natureza e seu impacto financeiro.

Acompanhe em primeira mão todas as notícias sobre a COP26

A ideia é produzir um modelo para ser lançado em 2023 com recomendações de como as empresas podem reportar questões relacionadas à natureza.

Atualmente, fazem parte do fórum 49 instituições financeiras, 8 autoridades governamentais e 17 think thanks.

"Somos o primeiro banco privado brasileiro a fazer parte da iniciativa, o que reforça o nosso comprometimento com a padronização de informações ESG em especial àquelas métricas relacionadas à degradação de ecossistemas: fauna, flora, água doce, oceanos, terra e atmosfera", afirma Rafaella Dortas, diretora de ESG do BTG Pactual  (do mesmo grupo controlador da EXAME).

"Estamos nos antecipando em temas que serão cruciais para os próximos anos e que permitirão a ajudar os nossos clientes em uma transição pra economia sustentável, com modelos de negócio de baixo carbono", diz Dortas.

Esta é mais uma de uma série de iniciativas que o BTG tem liderado nos últimos anos. Em 2019 e 2020, o BTG Pactual compensou 100% das emissões de carbono diretas e as emissões indiretas decorrentes de viagens aéreas, transporte dos funcionários e resíduos gerados nas operações. Em 2020, foi dado um passo adiante para compensar a pegada de carbono dos escritórios de agentes autônomos plugados ao banco.

Também no ano passado, o BTG criou a área de Investimento de Impacto, que fomenta a criação de produtos e serviços que unam retorno financeiro com impacto socioambiental positivo, e passou a integrar o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3), que reúne em carteira 39 empresas listadas na bolsa com melhor desempenho em sustentabilidade. O Banco também faz parte do Índice CDP Brasil - Resiliência Climática (ICDPR-70), que mensura o desempenho dos papéis de empresas com práticas diferenciadas em gestão climática, alinhado às tendências globais e recomendações de acordos internacionais. O índice busca quantificar o desempenho financeiro das organizações frente ao tema da mudança do clima.

Em 2021 o banco aderiu ao Sustainable Bond Network da Nasdaq (SBNS), banco de dados da bolsa americana que reúne as informações sobre as principais emissões de bons sustentáveis no mundo, e aderiu ao PCAF, Parceria para Finanças Contábeis de Carbono com instituições financeiras em todo o mundo para harmonizar avaliações e divulgações de emissões de gases de efeito estufa financiadas por empréstimos e investimentos.

"A adesão ao TFND reforça nosso papel de indutor de boas práticas de mercado, nos apoiando a levar a temática ESG para nossos clientes e parceiros, seja por meio do desenvolvendo de produtos e opções de investimento sustentáveis, ou também trabalhando como fomentador de políticas envolvendo o tema, ", afirma Mark Wishnie, diretor de sustentabilidade do BTG Pactual Timberland Investment Group (TIG).

 

 

 

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame