Exame Invest
ESG

Os caminhões elétricos e a nova aposta sustentável da Reserva

PUBLICADO EM: 24.9.21 | 13H07
ATUALIZAÇÃO: 24.9.21 | 13H28
Marca passou a utilizar veículos elétricos para realizar entregas no Rio de Janeiro; intenção é expandir entregas sustentáveis para todo Brasil

Veículo elétrico da Reserva: entregas limpas começam no Rio de Janeiro

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A Reserva, marca de roupas do grupo Arezzo&Co, adotou a sustentabilidade para além da moda. Nesta semana, a empresa anunciou que passará a fazer entregas com veículos elétricos como um novo passo em sua jornada rumo à neutralidade em carbono até 2030, meta do grupo de Alexandre Birman.

  • Quer aprender a investir nas principais empresas ESG do país? Saiba como no novo curso da EXAME Academy

A malha logística do Rio de Janeiro ganhou caminhões elétricos que emitem 42 vezes menos gases poluentes do que os veículos tradicionais, segundo a empresa. O primeiro veículo já passou a fazer entregas na cidade, e a intenção é expandir os transportes limpos para todo o país em um futuro próximo.

"Não é de hoje que a Reserva pensa em alternativas que minimizem a nossa emissão de carbono e o nosso impacto no meio ambiente. Nosso objetivo é pensar desde o desenvolvimento de produtos e processos de produção até o jeito de fazê-lo chegar à casa do cliente causando o menor impacto possível", diz Rony Meisler, CEO da AR&Co e fundador da Reserva.

Além do compromisso com as emissões no transporte, a Reserva também firmou um compromisso Net Zero para a neutralidade de carbono, e foi a primeira a aderir ao Fashion Industry Charter for Climate Action, compromisso de empresas junto à Organização das Nações Unidas (ONU) para redução e neutralização das emissões na indústria da moda.

“As pessoas estão comprando mais em casa e a nossa demanda por entregas está cada vez maior. O e-commerce da Reserva cresceu do ano passado para cá e o grande desafio com isso era não colocar mais frota de carros nas ruas operando essa logística e piorando a poluição”, diz. Antes dos veículos elétricos, a Reserva já fazia entregas por bicicletas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.

Na frente ambiental, a marca também faz parte do Sistema B, grupo de empresas reconhecidas e certificadas por suas práticas ligadas à logística reversa. “Queremos ser referência para toda a indústria, de crescer economicamente, mas com consciência ambiental”, destaca.

Uma das ações que motivaram o selo está na substituição completa do plástico das sacolas por embalagens recicladas, produzidas a partir de materiais retirados de oceanos.

  • Ouça o podcast ESG de A a Z e fique por dentro de tudo que acontece no capitalismo de stakeholder

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame