Danone cria marca de iogurte com frutas que seriam desperdiçadas | Exame Invest
Exame Invest
ESG

Danone cria marca de iogurte com frutas que seriam desperdiçadas

PUBLICADO EM: 9.12.20 | 14H54
ATUALIZAÇÃO: 9.12.20 | 18H23
A nova linha vai usar frutas que sobram ou são consideradas muito feias para as prateleiras

Empresa criou uma linha de iogurtes feitos com frutas que seriam descartadas

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A maior fabricante de iogurte do mundo aposta que consumidores estão abertos a produtos pensados para evitar o desperdício.

A linha Two Good de produtos lácteos da Danone também incluirá a Good Save, uma nova marca de iogurte que usa frutas que sobram ou são consideradas muito feias para as prateleiras, disse a empresa com sede em Paris em comunicado na quarta-feira. Limões são o ingrediente-chave para o primeiro sabor, e outra variedade começará a ser vendida no segundo semestre de 2021.

A Danone desenvolveu o projeto ao longo de um ano com a Full Harvest Technologies, que administra um mercado para agricultores venderem produtos que seriam descartados para empresas de alimentos e bebidas. Os copos terão um selo inédito para informar que a fruta usada para os ingredientes teria sido desperdiçada, o que ajuda consumidores a entender a pegada que seus alimentos deixam — ou não.

“Realmente acreditamos que, ao usar frutas que seriam desperdiçadas em nosso iogurte, estamos criando um modelo de negócios sustentável que coloca o desperdício de alimentos no centro de nossa plataforma de inovação”, disse Surbhi Martin, vice-presidente de marketing da Danone North America, em entrevista por telefone.

Cerca de 30% dos alimentos no mundo nunca são consumidos, e o desperdício é responsável por cerca de 8% das emissões globais de gases de efeito estufa, de acordo com o Project Drawdown, um grupo que defende ações contra as mudanças climáticas.

“Há uma grande mudança no mercado de consumo e vemos isso em primeira mão, com grandes empresas chegando até nós”, disse Christine Moseley, fundadora e CEO da Full Harvest. “Esta será uma nova categoria enorme, da mesma forma que os orgânicos”, afirmou em entrevista.


Recomendado para você


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame