Exame Invest
ESG

Quer virar chefe? Tenha uma franquia de energia solar por R$ 25 mil

PUBLICADO EM: 24.8.21 | 14H26
ATUALIZAÇÃO: 24.8.21 | 15H37
Criado pelo Portal Solar, modelo permite a empreendedores atuarem na instalação de painéis solares em residências. Negócio conta com a adesão de 50 empresários
energia-solar-imposto-redução

A cada mês são criadas 450 empresas de energia solar no Brasil. Até o final deste ano, a expectativa é chegara a 5,4 mil novas companhias no mercado

Imagem da Editoria Exame Invest
Rodrigo Caetano

Repórter ESG| rodrigo.sabo@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

O setor de energia solar atingiu, em agosto, 10 GW de potência operacional no Brasil, o que coloca o país, pela primeira vez, entre os 15 maiores geradores do mundo. A capacidade atual representa 70% da capacidade da Usina Hidrelétrica de Itaipu, a segunda maior do mundo. Mais de 60% da energia fotovoltaica gerada no país vem de pequenos sistemas instalados em telhados de residências e pequenos comércios.

Para atender a essa demanda, a cada mês são criadas 450 empresas de energia solar no Brasil. Até o final deste ano, a expectativa é chegara a 5.400 novas companhias no mercado fotovoltaico, segundo dados do Portal Solar, um marketplace de equipamentos e serviços para projetos de energia solar. De olho nesse crescimento, a empresa lançou, em maio, uma operação de franquias que vai permitir a qualquer empreendedor atuar no segmento investindo 25.000 reais.

O parceiro poderá vender e instalar sistemas de energia solar. O investimento inicial inclui a taxa de franquia, treinamentos, equipamentos de segurança e uniforme, material de marketing e um drone, usado para tirar fotos dos telhados, o que ajuda no dimensionamento do projeto. “O franqueado terá suporte de engenharia, marketing, comercial, financeiro, jurídico e fornecimento dos equipamentos, como módulos, inversores, cabos, estruturas de fixação”, afirma Felipe Sapucahy, diretor da área de franquias do Portal Solar.

Nos últimos três meses, a empresa registrou uma média de 600 pedidos de adesão por mês. Cerca de 50 empresários estão sendo treinados e serão os primeiros a operar com a marca Portal Solar. As franquias estão localizadas nas capitais e em cidades menores, como Nova Andradina, no Mato Grosso, e Bagé, no Rio Grande do Sul.

  • Ouça o podcast ESG de A a Z e fique por dentro de tudo que acontece no capitalismo de stakeholder

 

Os interessados devem preencher um formulário no Portal Solar. O processo de triagem e assinatura do contrato leva por volta de 30 dias. Além do investimento inicial, é recomendável que o postulante tenha pelo menos 15.000 reais de capital de giro.

Pandemia eleva o custo em 25%

O aumento na demanda e a dificuldade de importação, em razão do câmbio fizeram o custo dos sistemas de geração disparar. Entre março de 2020 e junho de 2021, os preços subiram até 25%, dependendo do tamanho do projeto. Em média, os valores subiram 19% (confira tabela).

A elevação dos custos varia conforme a potência do sistema. A maior subida se deu em sistemas de 100 kWp, sistema capaz de gerar cerca de 1.500 quilowatts-hora (KWh), o suficiente para abastecer um comércio de médio porte (os números são aproximados e consideram a incidência solar na região de São Paulo).

O custo de um projeto com essa potência, atualmente, está na casa dos 330.000 reais. Os dados são de um levantamento feito pelo Portal Solar

Quanto custa instalar um sistema de energia solar

Portemar/20jun/21Aumento
Sistema 2,07 kWpR$ 14.550,00R$ 15.862,009%
Sistema 3,45 kWpR$ 18.760,00R$ 21.868,0017%
Sistema 5,52 kWpR$ 24.012,00R$ 29.302,0022%
Sistema 8,28 kWpR$ 35.892,00R$ 40.089,0012%
Sistema 10,69 kWpR$ 44.279,00R$ 48.371,009%
Sistema 16,56 kWpR$ 60.859,00R$ 74.736,0023%
Sistema 20,7 kWpR$ 73.752,00R$ 91.059,0023%
Sistema 52,44 kWpR$ 170.112,00R$ 211.669,0024%
Sistema 102,47 kWpR$ 332.535,00R$ 415.192,0025%
Sistema 310,5 kWpR$ 975.135,00R$ 1.190.126,0022%

 

Modelo de assinatura é alternativa de menor custo

Apesar do forte crescimento, a instalação de painéis solares ainda é uma solução de custo elevado para a maioria dos brasileiros — instalar um sistema de geração fotovoltaica no telhado de uma residência não sai por menos do que 15.000 reais. Uma alternativa que vem sendo adotado pelo mercado é o modelo de assinatura.

O modelo funciona a partir de créditos que são obtidos por grandes fazendas solares. Essas geradoras vendem a energia para as distribuidoras e, depois, repassam parte dos créditos recebidos dessa venda para os consumidores. Como a energia solar é mais barata do que outras fontes — por exemplo, a hídrica — elas conseguem oferecer um desconto.

Invista com o maior banco de investimentos da América Latina. Abra sua conta no BTG Pactual digital

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.

 

Imagem da Editoria Exame Invest
Rodrigo Caetano

Repórter ESG| rodrigo.sabo@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame