Fundação Toyota cria e-commerce de produtos feitos de resíduos automotivos | Exame Invest
Exame Invest
ESG

Fundação Toyota cria e-commerce de produtos feitos de resíduos automotivos

PUBLICADO EM: 29.3.21 | 9H00
ATUALIZAÇÃO: 13.4.21 | 16H23
Antes focado apenas em empresas, projeto que transforma resíduos em novos produtos ganha site para pessoas físicas

E-commerce da Fundação Toyota vende produtos feitos com resíduos das linhas de produção da montadora (Getty Images/Cultura RF)

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A Fundação Toyota, braço filantrópico da montadora no Brasil, lançou uma plataforma de e-commerce focada na venda de produtos fabricados a partir de resíduos da indústria automotiva. Com a iniciativa, os itens que vão de mochilas a carteiras estarão disponíveis para pessoas físicas de todo o país.

Desde 2011, a venda era restrita a empresas, que procuravam o projeto (que leva o nome de ReTornar) para a confecção de brindes corporativos. Os itens são feitos a partir de diferentes resíduos das linhas de produção das fábricas da Toyota no Brasil, como airbags, tecidos, uniformes e cintos de segurança.

Com o processo de logística da montadora, a Fundação irá receber os resíduos por meio de duas cooperativas paulistas de costureiras, nas cidades de Indaiatuba e Sorocaba e toda a renda obtida com as vendas é destinada e distribuída entre as profissionais.

O projeto auxilia no desenvolvimento do setor, no empoderamento feminino e na capacitação profissional de mulheres, segundo Viviane Mansi, presidente da Fundação Toyota. “A abertura das vendas no varejo reforça nosso desejo em gerar impacto social, bem além do benefício ambiental do reuso de materiais da indústria. Geramos renda e capacitamos mulheres, e agora as inserimos no ambiente digital”.

Desde sua criação, o ReTornar já reutilizou mais de 6 toneladas de resíduos que deram origem a mais de 77 mil produtos, segundo Mansi.

Os valores dos produtos partem de 25 reais. “Mais do que simplesmente dar um outro uso a objetos, queremos que os produtos sejam economicamente viáveis. Quanto mais demonstramos que podemos criar produtos interessantes e que poderiam ser resíduos, mostramos nosso compromisso de longo prazo com a natureza. Tornar os produtos atraentes e acessíveis é nossa contribuição para esse movimento, que beira a economia circular”, diz.

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.


Recomendado para você


Leia também

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame