ESG

Gigante italiana Eni se torna 1ª petroleira a vender títulos ESG em euros

PUBLICADO EM: 7.6.21 | 17H47
É mais um sinal da expansão do financiamento da dívida ambiental, que tem atraído todos os tipos de empresas, até mesmo as responsáveis pelas emissões de carbono

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Por Lyubov Pronina, da Bloomberg

A gigante italiana de energia Eni é a primeira petroleira a vender títulos em euros atrelados à redução das emissões de carbono.

É mais um sinal da expansão do financiamento da dívida ambiental, que tem atraído todos os tipos de empresas, até mesmo as responsáveis pelas emissões de carbono. A Eni vendeu 1 bilhão de euros (US$ 1,2 bilhão) em títulos ligados à sustentabilidade, ou SLBs, na sigla em inglês, segundo uma pessoa a par do assunto.

“É um bom teste para ver se o mercado está pronto para financiar os planos de transição das empresas”, disse Ronald van Steenweghen, gestor da Degroof Petercam Asset Management, em Bruxelas, que possui alguns títulos atrelados à sustentabilidade.

Outras empresas europeias de energia, como a refinaria Neste, venderam títulos verdes, cujos recursos devem ser usados em projetos ambientais específicos. A Eni é a primeira a emitir em euros porque os SLBs vinculam os pagamentos de juros a metas predeterminadas ambientais, sociais ou de governança, ou ESG na sigla em inglês.

Uma variedade crescente de empresas, até algumas que muitos fundos éticos tradicionais excluiriam, ajudou a impulsionar as vendas de SLBs na Europa este ano para mais de 10 bilhões de euros, ou 150% do volume total em 2020. Isso aumenta a preocupação de que os objetivos estabelecidos para as empresas garantirem taxas de juros mais baixas sejam muito fáceis e possam representar o chamado greenwashing, ou a prática de maquiar metas ambientais.

A Eni, que publicou a primeira estrutura de financiamento vinculada à sustentabilidade do mundo em seu setor no mês passado, planeja alcançar a neutralidade total em carbono até 2050, com indicadores-chave de desempenho vinculados à energia renovável e emissões.

A Eni aproveitou o feedback positivo de investidores e as condições favoráveis para vender os títulos na segunda-feira, disse uma fonte. A empresa não planeja mais emissões de SLBs este ano.

A empresa vendeu os SLBs a 50 pontos-base em relação aos midswaps, abaixo da meta inicial de cerca de 75 pontos-base, e os cupons podem aumentar se não atender às metas de energia renovável e emissões, de acordo com a pessoa, que falou sob anonimato.

A concessionária italiana Enel foi a primeira empresa a vender SLBs em dólares e em euros em 2019, e a Aeroporti di Romuma emitiu SLBs em euros em abril. A refinaria de petróleo polonesa PKN Orlen vendeu títulos vinculados a ESG em zlotys em março.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame