Exame Invest
ESG

Toyota faz lobby e tenta brecar a adoção de carros elétricos

PUBLICADO EM: 18.3.21 | 9H00
ATUALIZAÇÃO: 18.3.21 | 3H14
Companhia japonesa quer pressionar o congresso americano na tentativa de desacelerar a revolução dos veículos com motor movido por eletricidade

Carros elétricos: Tesla dominou o mercado americano em 2020 com mais de 200 mil veículos vendidos

Imagem da Editoria Exame Invest
Rodrigo Loureiro

Repórter de tecnologia, ciência e negócios | rodrigo.loureiro@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Nem todo mundo está tão entusiasmado com o avanço dos carros elétricos. Enquanto a Ford a está investindo 1 bilhão de dólares na categoria e a Volkswagen quer que 70% das vendas na Europa sejam de automóveis movidos por eletricidade, outra gigante do setor automotivo se movimenta na direção e quer brecar o avanço dos carros elétricos – e de suas concorrentes. Trata-se da Toyota.

De acordo com o site Electrek, a fabricante japonesa está fazendo lobby no governo americano contra a adoção de medidas fiscais que acelerem a adoção de carros elétricos no país. Nesta semana, Robert Wimmer, diretor do departamento de energia e pesquisa ambiental da Toyota, testemunhou frente ao sendo americano e criticou os planos voltados setor .

Investir em tecnologias renováveis é um dos objetivos do Joe Biden. No fim de janeiro, com menos de um mês após a posse, o presidente americano afirmou que deseja converter toda a frota de 645.000 veículos do governo para modelos elétricos e incentivou as agências federais a comprarem apenas veículos com emissão zero de agora em diante.

“Se quisermos fazer um progresso dramático na eletrificação, será necessário superar enormes desafios, incluindo infraestrutura de reabastecimento, disponibilidade de bateria, aceitação do consumidor e acessibilidade econômica”, disse Wimmer, lembrando que o setor ainda precisaria de grandes investimentos. O executivo também lembrou que menos de 2% dos automóveis vendidos no país em 2020 eram elétricos.

Vale lembrar que Biden já havia discursado durante sua campanha presidencial que iria focar esforços no combate ao aquecimento global e que tomaria uma série de decisões que agradaram ambientalistas ao redor do mundo, como colocar de novo os Estados Unidos no Acordo de Paris, tratado de 2015 para redução das emissões de carbono.

A Toyota sabe que está ficando para trás nesta corrida. Enquanto outras fabricantes tradicionais tentam se recuperar do impacto causado pela montadora de Elon Musk no mercado, que já tem valor de mercado maior do que várias delas somadas, a companhia japonesa – que até planeja lançar carros com motores elétricos nos EUA – passou anos investindo em células de combustível de hidrogênio em detrimento de baterias elétricas.

Entre as montadoras, a Tesla foi responsável por mais de 79% das vendas de carros com motor elétrico no país no ano passado com mais de 200.000 veículos comercializados no período. O restante, pouco mais de 50.000 automóveis, ficou dividido entre empresas como GM, Nissan, Audi, Porsche, Hyundai, Kia, entre outras.

Imagem da Editoria Exame Invest
Rodrigo Loureiro

Repórter de tecnologia, ciência e negócios | rodrigo.loureiro@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame