Exame Invest
O básico para começar
SALVE O SEU PROGRESSO

O que é home broker?

Antes o ambiente da bolsa de valores brasileira era exatamente como o visto nos filmes: operadores passavam o dia ao telefone, gritando ordens de compra e venda de ações. Todas as operações de investimento eram feitas verbalmente - mas com o fim do chamado pregão viva voz em 2009, passaram a ser feitas no pregão eletrônico. A digitalização das transações abriu espaço para a criação de um ambiente unificado e a digitalização dos bancos e corretoras, que resultaram na disseminação do home broker.

O que é home broker?

Home broker é uma plataforma digital que conecta seus usuários ao pregão eletrônico da bolsa de valores e permite a negociação de ações e outros ativos financeiros pela internet, de maneira simples e rápida.

Até a criação do home broker, quem negociava ações no mercado de capitais precisava passar uma ordem de operação por telefone para a mesa de operações de alguma corretora. Mas, desde 1999, quando foram criados os primeiros home brokers, quem quer investir na Bolsa pode fazer isso por meio do próprio computador ou celular. 

Quais investimentos eu posso fazer pelo home broker?

É possível negociar vários ativos disponíveis na Bolsa pelo home broker, como ações, ETFs, BDRs, fundos imobiliários, opções, entre outros.

Veja a lista de ações disponíveis no home broker do BTG Digital:

Ações no home broker do BTG Digital (Reprodução/Reprodução)

Vale lembrar que os ativos podem variar de acordo com a instituição em que se tem conta. As corretoras e bancos podem ter parcerias específicas com emissores, de forma que seja possível encontrar um determinado produto em apenas algumas plataformas de home broker.

Principais funcionalidades do home broker

Pela própria plataforma também é possível, normalmente,  acompanhar as cotações dos papeis em tempo real e as ordens de compra e venda dadas pelo investidor.

É por lá também que se verifica se essas ordens foram executadas, canceladas ou se aguardam uma oferta com o preço estipulado. 

Muitos home brokers também oferecem ferramentas de análise  operação, como stop loss e o stop gain, que permitem ao investidor programar ordens automáticas de venda quando um determinado preço for atingido. 

É possível acompanhar a cotação dos ativos pelo próprio home broker. Veja um exemplo:

Cotação das ações da Petrobras (PETR4) no home broker do BTG Digital (Reprodução/Reprodução)

Como usar o home broker?

Para usar o home broker, o primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora, porque a corretora é a instituição responsável por executar as ordens de compra e venda, mesmo que elas sejam feitas pela internet.

Em seguida, o investidor deverá preencher um questionário de suitability, que serve para descobrir qual é seu perfil de risco. O questionário apresenta perguntas sobre os objetivos do investidor, a sua tolerância às perdas e os prazos para resgate das aplicações.

No fim, o investidor descobrirá se tem perfil conservador, moderado ou arrojado. O perfil sugere a adesão a diferentes aplicações, sendo as de maior risco indicadas para os perfis moderados e arrojados.

Uma vez que o investidor já sabe o seu perfil de risco, basta navegar pelas categorias de ativos para acompanhar as cotações e as posições de investimentos.

Cada investimento possui um código de identificação, chamado de ticker. O investidor poderá localizar a aplicação por seu nome ou pelo ticker. Caso queira, por exemplo, buscar as ações da Petrobras, o investidor poderá buscar pelo nome da empresa ou pelos cógidos PETR3 (ações ordinárias) e PETR4 (ações preferenciais).

Como funcionam as ordens de compra e venda de ativos?

Caso queira comprar ou vender algum ativo pelo home broker, o investidor deverá emitir uma ordem. Na ordem, ele deverá informar a quantidade daquele ativo (por exemplo: 100 ações), checar o valor a ser recebido ou desembolsado, e finalizar a ordem. Veja abaixo:

Simulação de ordem de compra no home broker do BTG Digital (Reprodução/Reprodução)

A corretora recebe a ordem do investidor e a processa, de acordo com o sistema da B3. Se houver interessados em vender ou comprar os ativos por aquele preço, a ordem é processada com sucesso.

Se houver diferença grande no preço (por exemplo: quando há uma alta ou queda intensa na cotação de um ativo), a corretora pode não processar a ordem e pedir que o investidor faça uma nova operação.

Quanto custa usar home broker?

Usar o home broker, em si, não implica em custo algum. Não há uma taxa ou tributo cobrada pelo uso da plataforma.

No entanto, os investimentos feitos pelo home broker podem ter custos, como taxa de administração, Imposto de Renda e IOF. Por exemplo: se o investidor usar o home broker para comprar ações, ele deverá pagar a corretagem para a instituição financeira, a taxa de emolumentos para a B3, e Imposto de Renda sobre os ganhos.

Nenhum desses custos está relacionado ao home broker, e sim ao tipo de ativo do investimento.

É seguro usar o home broker?

O uso do home broker é seguro, desde que seja feito em uma instituição devidamente autorizada pelas autoridades financeiras (Banco Central e Comissão de Valores Monetários).

Para saber se uma instituição é autorizada a operar no mercado financeiro basta fazer uma busca no . As corretoras e bancos de investimento são identificados com as siglas CTVM (Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários) e DTVM (Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários).

Uma vez que o investidor se certificou que a plataforma em si é considerada segura, é importante que ele observe o risco de adequação ao perfil dos ativos.

Os investidores devem buscar informações sobre o produto de investimento antes de fazer qualquer aplicação.É importante estar ciente dos riscos, do prazo de resgate e da taxa de retorno contratada. Caso contrário, o investidor pode acabar adquirindo uma aplicação que não condiz com seu perfil ou que não está de acordo com seus objetivos s planos.

Diferença entre home broker e mesa de operações

Embora o home broker tenha facilitado o processo de investir, algumas aplicações financeiras não são negociadas em uma plataforma centralizada. Títulos de crédito privado, como debêntures, Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) e Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA) não estão, em geral, disponíveis no home broker.

Por terem liquidez limitada, esses títulos são negociados nas mesas de operações. Isso significa que o investidor que quiser comprar ou vender um desses títulos deve entrar em contato com sua corretora por telefone, chat ou e-mail para emitir a ordem da transação.

A partir daí, a corretora buscará um investidor interessado em comprar ou vender aquele mesmo título, e fará toda a operação manualmente.

Esse processo é válido, também, para ativos que são negociados no home broker. Caso o investidor não se sinta confortável em fazer as aplicações pela plataforma, ele pode entrar em contato com a corretora e pedir que a ordem seja feita manualmente.

Chamada para acessar a Exame Academy
Mosaico do rodapé com as cores da Exame