Exame Invest
Quais as minhas alternativas?
SALVE O SEU PROGRESSO

O que são opções de ações?

Uma das principais ferramentas para ajudar o investidor a minimizar perdas em renda variável são as opções de ações. Mas a verdade é que muitas pessoas ainda têm dúvidas na hora de entrar neste mercado. Afinal, como identificar as melhores opções para investir? Quais critérios devem ser levados em conta nesse momento?

O que são opções?

Opções são instrumentos derivativos negociados no mercado financeiro que representam um contrato que dá a seu titular o direito de comprar ou vender um determinado ativo. Essa possível compra é feita em uma data especificada e por um preço pré-estabelecido, chamado preço de exercício ou strike.

Quer aprender a operar com opções para potencializar os ganhos da sua carteira? Conheça o curso Estratégias com Opções da EXAME Academy

Opções e contrato futuro são a mesma coisa?

Como se trata de um contrato de compra e venda entre dois investidores que acontecerá no futuro, ele também é chamado de contrato futuro.

Ou seja: estamos falando de um tipo de investimento de renda variável que permite ao investidor criar estratégias para proteger ou alavancar sua carteira em momentos de alta volatilidade do mercado.

É importante ter em mente que, ao operar opções, o investidor não está investindo diretamente em uma empresa, mas sim negociando o direito de compra (call options) ou de venda (put options) daqueles papeis por um preço predeterminado.

Tipos de opções

Existem dois formatos de opções negociadas no mercado brasileiro: as opções de compra, também chamadas de call, e as opções de venda, também chamadas de put.

As opções de compra conferem ao seu titular o direito de comprar um ativo em uma data futura por um preço determinado.

Já as opções de venda concedem o direito de vender um ativo na data do vencimento da opção por um preço previamente combinado. 

Esse é um instrumento utilizado em investimentos e especulações. E se o titular da opção decidir não exercer sua opção, deixar de comprar ou vender um ativo, a opção expira ou “vira pó” como se costuma dizer no mercado. 

Qual a diferença entre o lançador e o titular?

Existem dois protagonistas principais no mercado de opções: o lançador do título e o titular das opções.

O lançador é quem se compromete a realizar o negócio estabelecido no futuro, e o titular é quem compra o direito de exercer a opção.

Como funciona o mercado de opções?

Existem opções com condições de vencimento diversas, mas a maioria desses papeis tem características padronizadas. As negociações acontecem no mercado balcão (quando não são padronizadas) ou na própria Bolsa (quando são padronizadas). No mercado balcão, quem define as condições de negociação do ativo são o lançador e o titular.

Para entender melhor como funcionam as opções de compra ou de venda, vamos para exemplos práticos.

Exemplo de opção de compra (call)

Tomemos como exemplo o investidor A que tem um ativo no valor de R$ 10. O investidor B acredita que esse mesmo ativo tem potencial para valorização, de modo que o ativo pode chegar a R$ 15.

O investidor B faz uma proposta ao investidor A da negociação de uma opção de compra (call) de 1 ano com um prêmio de R$ 2 por ação.

O investidor B paga esses R$ 2 no início da negociação, e caso a ação chegue aos R$ 15, ele exerce a opção de compra (strike). No final das contas ele pagou, portanto, R$ 12 em um ativo que vale R$ 15.

Caso o ativo não chegue aos R$ 15, como o investidor B imaginou, ele pode simplesmente não exercer o direito de opção e perder apenas os R$ 2 pagos de prêmio.

Opção de venda (put)

Agora vamos a um exemplo de venda: o investidor A tem um ativo que vale R$ 10, mas acredita que ele pode se depreciar. Nesse cenário, ele oferece uma opção de venda ao investidor B pelo mesmo preço de R$ 10 em um período de 1 ano. Para ter direito à venda, ele paga um prêmio de R$ 2.

Supondo que o ativo realmente se depreciou e chegou a R$ 5, o investidor A exerce sua opção de venda e recebe os R$ 10. Nesse cenário, ao invés de perder R$ 5 (a diferença entre os R$ 10 iniciais e o preço depreciado do ativo), ele perderá apenas R$ 2 (o valor do prêmio).

O que considerar antes de investir em opções

Veja, a seguir, três fatores que devem ser considerados ao operar no mercado de opções.

  • Vencimento

É extremamente importante que o investidor tenha o prazo de vencimento de opções em mente antes de realizar uma operação no mercado de opções.

Isso porque, além de apostar na direção (de alta ou de baixa do ativo), é preciso acertar o momento em que a movimentação irá acontecer para que a estratégia seja bem-sucedida.

Como as opções vencem todos os meses, existe o risco de o investidor realizar uma operação que vence em maio, apostando na alta do ativo, mas essa alta só chegar em junho. Isso quer dizer que você pode até estar certo em sua tese, mas, se não acertar o tempo dessa tese, o resultado será ser negativo.

O vencimento das opções na  acontece sempre na terceira segunda-feira do mês.

  • Preço

Depois do prazo de vencimento, é chegada a hora de olhar para o preço da opção que deseja operar.

Há dois preços que devem ser levados em conta: o valor pago pela compra daquela opção (conhecido como prêmio) e o valor pelo qual o ativo-objeto será negociado no futuro (conhecido como strike ou preço de exercício).

Ambos devem ser considerados antes de escolher em qual opção investir, já que o valor do strike interfere diretamente no valor do prêmio.

  • Ativo-objeto

As opções são conhecidas por serem naturalmente mais voláteis que os demais ativos negociados na Bolsa. Por isso, é importante conhecer o ativo-objeto (de onde o valor daquela opção deriva) para saber se ele realmente faz sentido dentro da sua estratégia.

Isso quer dizer que, assim como no mercado de ações, respeitar o seu perfil de investidor e conhecer o cenário que pode impactar seus ativos também é essencial para ter sucesso no mercado de opções.

Como investir em opções?

Para investir em opções, o primeiro passo é abrir uma conta em uma corretora, porque a corretora é a instituição responsável por executar as ordens de compra e venda, mesmo que elas sejam feitas pela internet.

Em seguida, o investidor deverá preencher um questionário de suitability, que serve para descobrir qual é seu perfil de risco. O questionário apresenta perguntas sobre os objetivos do investidor, a sua tolerância às perdas e os prazos para resgate das aplicações.

No fim, o investidor descobrirá se tem perfil conservador, moderado ou arrojado. O perfil sugere a adesão a diferentes aplicações, sendo as de maior risco indicadas para os perfis moderados e arrojados.

Uma vez que o investidor já sabe o seu perfil de risco, basta navegar pelas categorias de ativos para acompanhar as cotações e as posições de investimentos. Para encontrar opções, por exemplo, basta buscar pelo seu código de identificação.

O que são os códigos das opções?

Cada opção de ações possui um código de identificação. Esse código é composto por 5 letras e 2 números - cada algarismo indica uma informação diferente, de forma que ao observar o código de uma opção o investidor pode já descobrir suas características.

As primeiras letras do código são o ticker da ação que é base para a opção. Se for uma opção da Vale, por exemplo, os primeiros algarismos da opção serão VALE.

Depois do ticker há sempre uma letra que indica o prazo de vencimento da opção. A indicação da letra dependerá não só do mês, mas também do tipo de opção - se é uma opção de compra (call) ou de venda (put).

Veja abaixo a regra:

Mês de vencimentoOpção de CompraOpção de Venda
JaneiroAM
FevereiroBN
MarçoCO
AbrilDP
MaioEQ
JunhoFR
JulhoGS
AgostoHT
SetembroIU
OutubroJV
NovembroKW
DezembroLX

Por fim, o código da opção também indica o preço do exercício de compra (call) ou venda (put).

Tomando, por exemplo, o código VALEQ100: trata-se de uma opção de venda de ações da Vale, com vencimento em maio e preço de exercício de R$ 100.

Diferenças entre mercado de ações e opções

Embora tenham o mesmo propósito, a negociação de ações e opções é completamente diferente. As opções são um derivativo, enquanto as ações são o papel "de origem" do ativo.

O investidor que compra uma ação se torna "sócio" da empresa detentora do papel. Quem investe em opções, no entanto, só se torna dono da ação se exercer o strike. Enquanto isso não acontece, ele continua tendo somente o direito de, no futuro, ser dono da ação ou de vendê-la ao preço combinado.

Além disso, ações são ativos com cotação em tempo real, e cujo valor é determinado pela lei da oferta e demanda. Já o valor das opções depende diretamente das condições acordadas para call ou put.

Por fim, tanto as ações quanto as opções são negociadas em mercado balcão e na bolsa de valores.

Chamada para acessar a Exame Academy
Mosaico do rodapé com as cores da Exame