Exame Invest
ESG

Amaro amplia atuação ESG e se torna negativa em carbono

PUBLICADO EM: 9.8.21 | 14H53
ATUALIZAÇÃO: 12.8.21 | 16H04
Empresa passou a compensar o dobro do que polui e, com isso, dá um passo adiante na jornada ESG na moda

Amaro: empresa se torna carbono negativa em 2021

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Na corrida pela redução dos impactos climáticos causados pelas grandes empresas, alguns setores se mostram especialmente preocupados. É o caso do setor de moda, tradicionalmente associado à poluição, uso excessivo de água nas produções e criação de uma mentalidade "fast fashion", que prega o consumo desenfreado a todo custo. Diante desse cenário, a Amaro, varejista de moda, tomou a frente e anunciou que se tornou uma empresa "carbono negativa".

Na prática, isso significa que além de compensar suas emissões, a empresa também irá sequestrar o dobro do emitido pelas suas operações. Ou seja, a companhia irá sequestrar mais do que polui. No caso da Amaro, serão 15.000 toneladas de carbono emitidas até o final do ano, e o dobro disso (30.000 toneladas) será compensado com a compra de créditos de carbono.

 

No plano de sustentabilidade para os próximos anos, a empresa também detalha as operações envolvendo os créditos de carbono. As compras serão feita por meio das plataformas Moss e Biofílica, e irão vir de projetos ambientais na Amazônia e de coleta de biogás em aterros sanitários.

"Nos questionamos o tempo todo se estamos fazendo a coisa certa. Por isso, desde 2018 estamos reduzindo nosso impacto no meio ambiente em todas as áreas. Agora em 2021, fomos além da neutralização e compensamos o dobro da nossa pegada de carbono com o objetivo de, proativamente contribuir para a regeneração do nosso planeta e reverter as mudanças climáticas", disse, em nota, Dominique Oliver, CEO da AMARO.

O período para o anúncio não poderia ser melhor. Nesta segunda-feira, o IPCC divulgou o relatório mais recente sobre o papel das ações humanas na mudanças climáticas e a conclusão é de que o cerco está de fato se fechando.

O cenário interno também serviu de estímulo para o novo episódio na jornada ESG (silga para ambiental, social e de governança) da empresa. Em uma pesquisa com consumidores, a Amaro identificou que 64% das compradoras estão em busca de um consumo mais sustentável. Em resposta, a marca também passou a adicionar informações sobre a pegada de carbono de cada uma das peças nas páginas de produtos, além de um menu especial para navegação em produtos com características sustentáveis. "Nosso objetivo é aumentar a transparência e empoderar nossas clientes com informação fácil e compreensível, ajudando-as na tomada de decisão", disse o CEO.

Daqui para frente, a Amaro terá também uma parceria com mais de 150 marcas sustentáveis. A meta, segundo a empresa, é ter 50% do porfólio das coleções em matérias-primas sustentáveis nos próximos cinco anos.

Ouça o podcast ESG de A a Z e fique por dentro de tudo que acontece no capitalismo de stakeholder

Imagem da Editoria Exame Invest
Maria Clara Dias

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame