Exame Invest
Onde Investir

As ações que pagam dividendos mais indicadas para outubro

PUBLICADO EM: 4.10.21 | 16H38
ATUALIZAÇÃO: 5.10.21 | 11H01
Levantamento feito pela EXAME Invest mostra as ações mais recomendadas por 11 corretoras para este mês
Vivo

Vivo: companhia tem bom histórico de dividendos (REUTERS)

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 5MIN

As ações da Telefônica Vivo (VIVT3) foram mais uma vez as mais recomendadas pelas corretoras para o mês de outubro entre as boas pagadoras de dividendos. Os papéis da companhia foram indicados por sete das 11 carteiras consultadas pela EXAME Invest.

Aumente seus rendimentos com ajuda dos especialistas do maior banco de investimentos da América Latina. Abra sua conta no BTG Pactual digital.

Sobre a Telefônica Vivo (VIVT3), os analistas destacaram que a companhia continua gerando bom fluxo de caixa e resultados resilientes, operando no Brasil. Além disso, continua fazendo investimentos sem abandonar o histórico de boa pagadora de dividendos. Os analistas afirmam ainda que a companhia se destaca quando se trata da consolidação do setor de telecomunicações e na compra da rede móvel da Oi pelo consórcio formado pela Claro e a TIM.

A segunda ação mais indicada foi a Itaúsa, com seis recomendações. Segundo os analistas, a companhia pode ser uma boa alternativa ao Itaú, tendo uma grande exposição ao banco, ao mesmo tempo que está se diversificando cada vez mais, o que pode ser feito com a venda de participações em empresas de serviços financeiros ou com a exploração de outros segmentos. Como referência, a empresa vem estudando investimentos em distribuição de energia e agronegócio. Além disso, a versão atual da reforma tributária deve impactar positivamente a Itaúsa, uma vez que o fim dos juros sobre o capital próprio do Itaú deve reduzir o pagamento de PIS/Cofins, que representam despesas de 300-500 milhões de reais ao ano, e são da holding a maior despesa, após despesas pessoais.  

Já a Taesa aparece na terceira colocação, com cinco recomendações. O segmento de transmissão de energia elétrica não depende da demanda por energia, uma vez que suas receitas são pré-estabelecidas, com reajustes por inflação (a Taesa não possui dívida atrelada ao dólar). A empresa pode investir em novos projetos e ainda assim seguir com payout elevado, levando a um dividend yield na casa dos 8,5% em 2021/22. E a empresa é uma das mais resilientes para períodos mais voláteis no mercado. 

Ranking

Veja ranking abaixo:

AçãoRecomendação
Telefônica Vivo (VIVT3)7
Itaúsa (ITSA4)6
Taesa (TAEE11)5
BB Seguridade (BBSE33
Transmissão Paulista (TRPL4)2
Itaú Unibanco (ITUB4)2
Porto Seguro (PSSA3)2
Copasa (CSMG3)2
Cyrela (CYRE3)2
BR Distribuidora (BRDT3)2
B3 (B3SA3)2
Isa CTEEP (TRPL4)2
CCR (CCRO3)2
Vale (VALE3)2
Ambev (ABEV3)1
EcoRodovias (ECOR3)1
Petrobras (PETR4)1
Cesp (CESP6)1
Camil (CAML3)1
Qualicorp (QUAL3)1
Gerdau (GGBR4)1
ABC Brasil (ABCB4)1
Santander (SANB11)1
Hypera (HYPE3)1
Multiplan (MULT3)1
Alupar (ALUP11)1
BTG Pactual (BPAC11)1

Ágora Investimentos

Desempenho em setembro: -5,06%
Desempenho no ano 2021: -4,6%
Não houve alteração na carteira.

AçãoPeso (%)
Ambev (ABEV3)20
EcoRodovias (ECOR3)20
Itaúsa (ITSA4)20
Taesa (TAEE11)20
Telefônica Vivo (VIVT3)20

Elite

Desempenho em setembro: -1,91%
Desempenho no ano: -5,91%
Ações excluídas: Itaú Unibanco
Ações incluídas: Itaúsa

AçãoPeso (%)
BB Seguridade (BBSE3)20
Itaúsa (ITSA4)20
Transmissão Paulista (TRPL4)20
Taesa (TAEE11)20
Telefônica Vivo (VIVT3)20

 

Guide Investimentos

Desempenho em setembro: 3,42%
Desempenho no ano: 5%
Ações retiradas: Vale
Ações incluídas: Banco do Brasil

AçãoPeso (%)
BB Seguridade (BBAS3)20
Itaú Unibanco (ITUB4)20
Petrobras (PETR4)20
Porto Seguro (PSSA3)20
Telefônica Vivo (VIVT3)20

Genial

Desempenho em setembro: -4,48%
Desempenho no ano: -4,67%
Ações excluídas: Bradespar
Ações incluídas: Itaúsa

AçãoPeso (%)
Cesp (CESP6)20
Copasa (CSMG3)20
Cyrela (CYRE3)20
Itaúsa (ITSA4)20
Taesa (TAEE11)20

Modalmais

Desempenho em setembro: -5,60%
Desempenho no ano: 2,65%
Não houve alteração na carteira.

AçãoPeso (%)
BB Seguridade (BBASE3)20
BR Distribuidora (BRDT3)20
Itaúsa (ITSA4)20
Taesa (TAEE11)20
Telefônica Vivo (VIVT3)20

Mycap

Desempenho em setembro: -4,55%
Desempenho no ano: -17%
Ações excluídas: BR Distribuidora
Ações incluídas: Camil

AçãoPeso (%)
Banco do Brasil (BBSE3)20
Bradespar (BRAP4)20
Camil (CAML3)20
Itaúsa (ITSA4)20
Qualicorp (QUAL3)20

Nova Futura

Desempenho em setembro: -5,80%
Desempenho no ano: -15,28%.
Não houve alteração na carteira.

AçãoPeso (%)
B3 (B3SA3)20
Cyrela (CYRE3)20
Gerdau (GGBR4)20
Telefônica Vivo (VIVT3)20
Isa CTEEP (TRPL4)20

Planner

Desempenho em setembro: -4,48%
Desempenho no ano: -3,37%
Ações excluídas: B3, Banco do Brasil, Camil, Copasa e Portobello
Ações incluídas: ABC Brasil, CCR, Porto Seguro, Santander e Taesa

AçãoPeso (%)
ABC Brasil (ABCB4)20
CCR (CCRO3)20
Porto Seguro (PSSA3)20
Santander (SANB11)20
Taesa (TAEE11)20

Quantitas

Desempenho em setembro: -8,34%
Desempenho no ano: -3,67%
Não houve alteração na carteira.

AçãoPeso (%)
Hypera (HYPE3)20
Itaú Unibanco (ITUB4)20
Multiplan (MULT3)20
Vale (VALE3)20
Telefônica Vivo (VIVT3)20

Santander

Desempenho em setembro: -7,94%
Desempenho no ano: -3,16%
Ações excluídas: Petrobras
Ações incluídas: BTG Pactual

AçãoPeso (%)
Alupar (ALUP11)20
BR Distribuidora (BRDT3)20
BTG Pactual (BPAC11)20
Itaúsa (ITSA4)20
Vale (VALE3)20

Terra

Desempenho em julho: -1,69%
Desempenho no ano:-10,11%
Não houve alteração na carteira.

AçãoPeso (%)
B3 (B3SA3)20
BB Seguridade (BBSE3)20
CCR (CCRO3)20
Copasa (CSMG3)20
Telefônica Vivo (VIVT3)20

Foto de Karla Mamona da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame