Exame Invest
Minhas Finanças

Banco Central adia implementação da segunda fase do Open Banking

PUBLICADO EM: 14.7.21 | 9H58
A segunda fase iria começar nesta quinta-feira e foi remarcada para dia 13 de agosto
Edifício-Sede do Banco Central do Brasil em Brasília

(Marcello Casal JrAgência Brasil)

Imagem da Editoria Exame Invest
Agência O Globo



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Inicialmente marcada para começar nesta quinta-feira, a segunda fase de implementação do Open Banking foi adiada pelo Banco Central (BC) para dia 13 de agosto. O anúncio foi feito nesta quarta-feira.

Segundo a autoridade monetária, as instituições financeiras ainda não terminaram os testes necessários para obter a homologação e o registro das Interfaces de Programação de Aplicações (APIs) que vão permitir com que os clientes compartilhem seus dados.

Em nota, o BC disse que o Open Banking é uma medida prioritária da agenda de inovação.

“O Open Banking é uma medida de longo prazo e prioritária na Agenda BC#, que visa definir as condições para o sistema financeiro do futuro, mediante a criação de novos canais de comunicação e de acesso a serviços financeiros, de forma a garantir uma jornada digital para o consumidor que seja segura, ágil, efetiva e conveniente”.

Diferente da primeira fase, considerada um período de testes em que as instituições financeiras abriram informações básicas, como canais de atendimento e serviços oferecidos, na segunda fase os clientes terão um papel ativo no compartilhamento de suas próprias informações.

As pessoas poderão escolher se e com quem vão compartilhar dados como seu histórico de crédito e de transações de suas contas. Com essas informações em mãos, a ideia é que as instituições financeiras, como bancos e fintechs, possam oferecer produtos personalizados e mais baratos.

Essa é a segunda vez que o cronograma do Open Banking sofre uma alteração. A primeira fase estava inicialmente marcada para novembro de 2020, mas foi adiada para fevereiro deste ano porque as instituições financeiras precisavam de mais tempo para adaptar os seus sistemas.

A mudança afeta somente a segunda fase. A fase 3 continua marcada para dia 30 de agosto, quando será possível iniciar um pagamento usando o saldo da conta de uma instituição a partir do aplicativo de outra.

A fase 4 também está mantida para dia 15 de dezembro e marca a expansão do projeto para além dos bancos, abarcando dados de operação de câmbio, investimentos, seguro, previdência complementar aberta e contas-salário.

Imagem da Editoria Exame Invest
Agência O Globo


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame