Exame Invest
Criptoativos

Bitcoin afunda 9% com novo ataque da China à mineração de criptomoedas

PUBLICADO EM: 21.5.21 | 12H30
ATUALIZAÇÃO: 21.5.21 | 12H54
Em declaração desta sexta, as autoridades do país apontam que uma regulamentação mais rígida envolvendo criptomoedas é necessária para proteger o sistema financeiro
Preço do Bitcoin cai

Bitcoin afunda nesta sexta-feira com novas restrições da China envolvendo transações com criptomoedas | Foto: Getty Images (Getty Images)

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Lucas Josa da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra | Lucas Josa

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O bitcoin afunda mais de 9% nesta sexta-feira, 21, para baixo dos 40 mil dólares, após autoridades chinesas intensificarem repressão à mineração e negociação de criptomoedas.

Em uma declaração do vice-premiê chinês Liu He e do Conselho de Estado, as autoridades do país disseram que uma regulamentação mais rígida é necessária para proteger o sistema financeiro.

O comunicado, reportado na noite de sexta-feira no horário da China, afirma que algumas medidas deverão ser adotadas para "prevenir e controlar de forma definitiva" os riscos financeiros. O anúncio veio após reunião do Comitê de Estabilidade Financeira da China sobre o assunto.

“A segunda é prevenir e controlar com firmeza os riscos financeiros. Aderir ao pensamento de linha de fundo, fortalecer a varredura abrangente e alerta antecipado de riscos financeiros, promover a reforma de pequenas e médias instituições financeiras, focar na redução dos riscos de crédito, fortalecer a supervisão das atividades financeiras das empresas de plataforma, reprimir a mineração de Bitcoin e comportamento comercial, e prevenir resolutamente a transmissão dos riscos individuais para o campo social”, divulgou o Comitê.

Esse é o segundo posicionamento negativo da China em relação aos criptoativos nos últimos dias. Na segunda-feira, 18, três associações do Banco Central da China emitiram um documento reiterando sua posição em relação às criptomoedas, exigindo que as instituições não conduzam negócios com moedas virtuais e, solicitando que a população não se envolva com moedas virtuais que não são reguladas pelo governo chinês.

Às 12h18, o bitcoin registrava queda de 9,45%, em 38.019 dólares, segundo cotação da Binance, e caminhava para a pior semana desde 13 de março. Outras criptomoedas também operavam no vermelho. O ether caía 8,4%, para 2.567 dólares e o litecoin recuava 10,6%, para 188,4 dólares.

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Lucas Josa da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra | Lucas Josa

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame