Exame Invest
Mercados

Nova variante de Covid, Black Friday, BCE e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 26.11.21 | 7H00
ATUALIZAÇÃO: 26.11.21 | 7H25
Bolsas europeias e futuros em NY têm forte queda, e petróleo despenca 6%, com notícias sobre nova variante no sul da África; Reino Unido, Alemanha, Itália e Israel suspendem voos da região

Passageiros no aeroporto de Heathrow, em Londres: voos suspensos vindos da África do Sul e mais cinco países em razão de nova variante de Covid | Foto: Bloomberg (Bloomberg)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Bolsas europeias, futuros dos índices americanos e demais ativos têm uma manhã de sexta-feira, dia 26, de forte queda em razão da descoberta de uma nova variante de Covid no sul da África, potencialmente muito mais transmissível que as já conhecidas. As informações sobre a variante foram divulgadas no início da noite de quinta-feira.

O governo britânico suspendeu voos de seis países da região, incluindo a África do Sul e a Namíbia, na noite de quinta. Nesta sexta, Alemanha e Itália adotaram a mesma medida, bem como Israel e Cingapura. As cotações do petróleo despencam cerca de 6%, para a casa de 77 dólares, em razão do temor de queda na demanda global.

Já foram identificadas cerca de 80 pessoas infectadas com essa nova variante, batizada de forma preliminar de B.1.1.529.

As quedas são acentuadas em razão da menor liquidez por causa do feriado do Dia de Ação de Graças. Nesta sexta, as bolsas americanas operam em período reduzido, das 11h30 às 15h no horário de Brasília.

Veja abaixo os principais índices*:

  • FTSE 100 (Londres): -3,07%
  • DAX (Frankfurt): -2,99%
  • CAC 40 (Paris): -3,81%
  • Futuros do Dow: -2,19%
  • Futuros do S&P: -1,79%
  • Futuros da Nasdaq: -1,21%
  • Petróleo (WTI): -5,86%
  • Nikkei 225 (Tóquio): -2,53%

*Às 6h50.

Ibovespa tenta engatar quarta dia de alta

A aversão a risco no exterior pode impedir o Ibovespa de alcançar o quarto pregão consecutiva de alta. Ontem o Ibovespa fechou em alta de 1,24%, em 105.811 pontos, 3,61% acima do pior fechamento do ano, no início da semana.

Com a baixa liquidez no mercado americano, as atenções de investidores ficam voltadas para a Europa. A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, irá discursar na Conferência Legal do BCE às 10h30 (horário de Brasília).

Com a inflação se mostrando mais persistente que a esperada na Zona do Euro, investidores buscam por pistas que indiquem um tom mais hawkish (rigoroso) do BCE, o que pode se traduzir em alta do juro antes do esperado. Nesta semana, Isabel Schnabel, do conselho executivo do BCE, voltou a destacar a ameaça crescente da inflação no continente.

O evento será o principal -- e praticamente o único -- da agenda macroeconômica desta sexta.

Na parte micro, o dia promete ser intenso para o setor de varejo, com as vendas esperadas para a Black Friday.

No Brasil, uma das expectativas aponta para um volume de vendas de 6,1 bilhões de reais em faturamento, 18% acima do registrado no ano passado, segundo a empresa de dados Neotrust. Para o e-commerce, o número de pedidos deve ser 13% maior, ficando em torno de 8,5 milhões.

Por aqui, investidores também seguem atentos às pesquisas de intenção de voto, que começam a testar a popularidade do ex-ministro Sergio Moro para as eleições de 2022. No mercado, o Moro  já é visto como uma potencial terceira via, que contrastaria com a polarização entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Ainda na esfera política, permanecem no radar as tratativas para o andamento da PEC dos Precatórios. Segundo O Globo, o governo não tem votos suficientes para aprovar a proposta no Senado. A votação da proposta estava prevista para esta semana, mas foi adiada após parlamentares pedirem mais tempo para analisar o texto.

A expectativa é que a votação seja realizada na próxima terça-feira, 30. Mas, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, não tem se comprometido a levar a PEC à votação na próxima semana.

Veja abaixo os destaques corporativos:

Inter

A maioria dos acionistas do Inter (BIDI11, BIDI4) aprovou em assembleia a transferência da listagem da instituição financeira da B3 (B3SA3) para a Nasdaq, informou a empresa nesta quinta-feira, dia 25.

O banco já havia recebido autorização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para a mudança. Agora, os acionistas terão a opção de escolher vender (cash-out) seus papeis existentes na B3 ou receberem BDRs (recibos de ações listadas no exterior) que poderão ser convertidos posteriormente em ações Classe A negociadas na Nasdaq.

Petrobras

A Petrobras (PETR3/PETR4) informou que as condições do acordo com a Companhia Elétrica do Amapá foram cumpridas, resultando em um efeito positivo de 132,6 milhões de reais no resultado consolidado do quarto trimestre. As duas companhias haviam chegado a um acordo em maio para a renegociação de uma dívida de 314 milhões de reais.

Camil

A Camil (CAML3) informou na última noite ter aprovado seu plano de recompra de ações, com objetivo de adquirir até 2 milhões de ações no prazo máximo de 12 meses. O programa de recompra foi anunciado após a companhia acumular perda de 14% no ano e de quase 20% nos últimos doze meses.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame