Exame Invest
ESG

Com foco em drones e táxis aéreos, Nasa quer mapear os ventos no mundo

PUBLICADO EM: 30.8.21 | 17H08
ATUALIZAÇÃO: 30.8.21 | 17H24
A agência americana contratou a japonesa MetroWeather, que é sediada em Kyoto, como parte do programa de bolsa de pesquisa de inovação de pequenas empresas da Nasa
drones

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Por Pavel Alpeyev e Takahiko Hyuga, da Bloomberg

A Nasa está recorrendo a uma startup japonesa para obter ajuda na criação de mapas eólicos que vão aumentar a segurança de voo de drones e táxis aéreos no mundo todo.

MetroWeather fabrica sensores compactos e de baixo custo que podem ser usados para detectar perigos como o vento, permitindo que veículos aéreos não tripulados operem em ambientes urbanos, disse o CEO Junichi Furumoto em uma entrevista. A empresa sediada em Kyoto trabalhará nos Estados Unidos com TruWeather Solutions, como parte do programa de bolsa de pesquisa de inovação de pequenas empresas da Nasa.

Drones autônomos e carros voadores estão lentamente se tornando realidade. As máquinas de quatro rotores, ou quadricópteros, já são usadas para fotografia, inspeções e mapeamento. Amazon.com, Alphabet e United Parcel Service (UPS) estão explorando seu uso para entregas. Diversas startups e companhias aeroespaciais estão desenvolvendo veículos elétricos de decolagem e pouso vertical que poderiam transportar pessoas.

A segurança continua sendo uma questão problemática.

“Colocar essas coisas em voo sem saber do vento e correr risco de acidentes é inconcebível”, disse Furumoto. “Ainda mais quando a carga é formada por pessoas.”

A tecnologia Lidar (abreviatura em inglês para detecção e alcance de luz) usa luz para medir distâncias e está sendo integrada a automóveis autônomos. Sensores Lidar da MetroWeather medem o movimento e a velocidade do vento ao rastrear a poeira fina na atmosfera com laser infravermelho.

A partir de março de 2022, dois Lidars da empresa serão usados pela TruWeather em um local de teste de drones da Nasa para demonstrar como as informações sobre o vento em tempo real podem ajudar os drones a escolher rotas ideais que evitem tesouras de vento e outros perigos.

O sistema Lidar tem alcance de 18 quilômetros e, portanto, quatro dispositivos instalados no topo de arranha-céus podem cobrir todo o centro de Tóquio. Cada um tem o tamanho de uma mesinha de centro e pesa 130 kg, enquanto um rival japonês com especificações semelhantes tem o tamanho de uma casa, pesa toneladas e tem custo dez vezes maior, da ordem de milhões de dólares, disse Furumoto.

O segredo da MetroWeather é o algoritmo exclusivo de processamento de sinais, que permite usar um feixe de laser de baixa potência sem prejudicar a precisão, explicou o executivo. A empresa espera apresentar o primeiro modelo de produção em massa em março, que terá metade do tamanho do produto atual e será consideravelmente mais barato. Pelos cálculos de Furumoto, sua companhia está três anos à frente da concorrência.

Fique por dentro das principais tendências das empresas ESG. Assine a EXAME.

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame