BTG Insights

Cresce a busca por bancos digitais; veja como escolher o seu

PUBLICADO EM: 10.6.21 | 16H47
ATUALIZAÇÃO: 10.6.21 | 16H48
A era dos bancos digitais já começou, em um movimento que tende a se fortalecer nos próximos anos. Entenda as vantagens e o que avaliar antes de abrir uma conta

Vale buscar por instituições sólidas, que transmitam credibilidade e que ofereçam um bom atendimento digital (Getty Images)

Foto de Vanessa Daraya da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Vanessa Daraya

Repórter da EXAME especializada em finanças e negócios. Jornalista formada pelo Mackenzie, com passagens pela Editora Abril e Grupo Globo.



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Nossa relação com os bancos nunca foi tão digital. Um relatório divulgado pela Accenture em fevereiro apontou que 44% dos entrevistados brasileiros já usam bancos digitais. Um volume bem superior à média global, de 23%.

Outro levantamento da UBS Evidence Lab revelou que, em 2020, a parcela de downloads desses aplicativos ultrapassou a de instituições tradicionais. Se em 2019 os grandes bancos ocupavam 52% da fatia e os novos players ficavam com 48%, hoje a posição se inverteu e os bancos digitais estão com 52% – e prometem crescer ainda mais ao longo de 2021.

Mas, afinal, quais são as vantagens dos bancos digitais?

“Uma vez que o cliente experimenta a facilidade e a praticidade de um banco digital, é um caminho sem volta”, afirma Flavia Janini, head de produtos e serviços transacionais do BTG+. O banco nasceu em setembro de 2020, mas foi aberto oficialmente ao mercado no final de janeiro, para qualquer pessoa.

Em pouco tempo de vida, o BTG+ já presenciou o crescimento do Pix em sua plataforma e se prepara agora para o Open Banking. Tudo isso enquanto lança ferramentas com o objetivo de oferecer uma experiência personalizada aos clientes, com conta gratuita, sem taxa de abertura ou manutenção, além da possibilidade de escolher e personalizar seu próprio cartão de crédito e benefícios.

“Em uma sociedade onde o tempo é algo valioso, uma das vantagens dos bancos digitais é a praticidade. O zelo para que o cliente consiga se autosservir é um pilar muito forte. Basta ter um smartphone para abrir uma conta, sem burocracia. Ainda é possível resolver as demandas financeiras sem se deslocar ou pegar filas e fazer pagamentos em segundos”, diz.

Como escolher um banco digital

Diante da efervescência do mercado de bancos digitais, muitas pessoas se questionam qual a diferença entre eles – ou melhor, o que é preciso buscar na instituição antes de abrir sua conta. Flavia Janini explica a seguir.

Benefícios flexíveis

“Os clientes estão cansados de ofertas ‘empacotadas’, sem flexibilidade. Hoje os serviços financeiros exigem personalização”, afirma. Vale buscar, portanto, a instituição que te dá a possibilidade de decidir a quais benefícios deseja ter acesso.

“Foi pensando nisso que construímos o cartão personalizável, o único do mercado em que o cliente escolhe quais benefícios fazem sentido para ele. São diversas combinações que surgem de acordo com a decisão do cliente”, explica.

Funciona assim: no app, o cliente seleciona o tipo de cartão, os benefícios que deseja e se quer participar do Invest+, o programa de fidelidade exclusivo do BTG+, que transforma parte dos gastos em investimentos. Conforme o cliente faz compras, o banco deposita um percentual do valor gasto em um fundo do BTG, com taxa zero.

É possível ainda escolher qual nome será impresso no cartão, personalizar o visual de acordo com a opção que mais combina com você, entre outros fatores. Faça o teste abaixo e veja alguns exemplos.

Escolha um banco de confiança

Apenas 33% dos brasileiros entrevistados pela pesquisa da Accenture confiam nos bancos para cuidar do bem-estar financeiro de longo prazo. Por isso, vale buscar por instituições sólidas, que transmitam credibilidade e que ofereçam um bom atendimento digital para que você não fique desassistido em momentos e emergências.

“É preciso avaliar a solidez do banco, os critérios de segurança e os serviços de relacionamento com o cliente prestados. Tem bancos que fazem ações para atrair cliente, mas não criam uma relação com ele”, explica Flavia. No BTG+, por exemplo, o cliente conta com a estrutura do BTG Pactual, considerado o maior banco de investimentos da América Latina.

Usabilidade do aplicativo

Se o banco é digital, ele precisa oferecer um aplicativo intuitivo, fácil de navegar e que resolva seus problemas com facilidade. Veja o caso do BTG+. Ele puxa os boletos que estão no nome do cliente para a plataforma. “O cliente tem acesso às contas que estão próximas a vencer, o que ajuda na gestão dos pagamentos. Se por acaso ele esquecer, ainda enviamos uma comunicação para lembrá-lo”, afirma Flavia.

Ajuda na gestão financeira

Vale ir além da usabilidade. Afinal, toda ajuda da organização financeira é bem-vinda. Busque aqueles que te mandam avisos conforme a movimentação de sua conta bancária e que ajudam no seu planejamento mensal.

No BTG+, você pode acompanhar pelo aplicativo a categorização dos gastos, como alimentação, vestuário, entre outros, para entender os excessos e como cortá-los.  “Queremos ajudar os clientes a fazer a gestão de suas finanças de forma descomplicada e transparente”, conta.

Ainda é possível receber mensagens com dicas do banco. “Se o cliente tem um boleto ou agendamento para pagar, mas está sem saldo, avisamos que ele vai entrar no cheque especial. E se identificamos um investimento adequado para resgate nessa situação, sugerimos para ele”, finaliza Flavia.

    Foto de Vanessa Daraya da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
    Vanessa Daraya

    Repórter da EXAME especializada em finanças e negócios. Jornalista formada pelo Mackenzie, com passagens pela Editora Abril e Grupo Globo.


    Compartilhe nas redes sociais
    Mosaico do rodapé com as cores da Exame