Como lucrar investindo na recuperação da economia americana | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

Como lucrar investindo na recuperação da economia americana

PUBLICADO EM: 29.4.21 | 11H20
ATUALIZAÇÃO: 29.4.21 | 12H37
Crescimento do PIB dos Estados Unidos é mais um indicativo do bom cenário para investir na renda variável do país

Resumo do investidor

1. O PIB dos EUA cresceu 6,4% no 1º trimestre de 2021 2. A forte alta reflete o crescimento de empresas americanas e favorece suas ações 3. A renda variável é o ativo mais recomendado por especialistas para quem quiser pegar carona

Placa de Wall Street e bandeiras dos Estados Unidos (EUA)

Wall Street, em Nova York: tempos favoráveis com a forte recuperação da economia americana (Getty Images/Tetra images RF)

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter especializada na cobertura de mercados. Formada pela ECA-USP, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM.



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Os Estados Unidos acabam de demonstrar que estão no caminho de uma recuperação econômica acelerada. O PIB dos EUA, divulgado nesta quinta-feira, 29, cresceu 6,4% no primeiro trimestre de 2021, o que é um ótimo sinal para as empresas do país e para os acionistas de todo o mundo que investem em negócios americanos. 

Para o acumulado do ano, as expectativas são ainda melhores. Segundo estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI), os EUA serão um dos poucos países a crescer mais do que a média mundial em 2021. No mercado, o reflexo é um forte impulso nos lucros das empresas americanas e, consequentemente, no valor de suas ações.

Sabia o que esperar da temporada de balanços do 1º tri nos Estados Unidos com a EXAME Invest Pro

O S&P 500, índice que reúne 500 dos principais ativos negociados nas bolsas americanas, vem renovando recordes quase que diariamente nas últimas semanas na esteira dos fortes resultados apresentados pelas companhias dos EUA no primeiro trimestre de 2021. No acumulado do ano, o índice já avança mais de 12%.

Isso significa que o mercado já vem precificando a retomada forte da economia, fazendo com que as maiores oportunidades de investimentos no país estejam mais valorizadas (e mais caras) do que nunca. 

Ainda assim, especialistas afirmam que este é um bom momento para investir na renda variável americana. “Menos da metade das empresas já divulgou seu balanço e, mesmo com essa pequena amostra, já é possível observar que quase 90% dos resultados vieram acima do esperado. Isso mostra que as companhias e as ações continuam com espaço para avançar”, afirma Carlos Takahashi, CEO da gestora BlackRock no Brasil.

Vale lembrar que o crescimento das empresas do S&P 500 não é homogêneo, o que traz oportunidades de investimento em ativos menos famosos dentro do próprio índice. E as oportunidades também continuam fora do S&P 500.

“Um segundo passo para quem já tem exposição aos ativos do S&P 500 é investir, por exemplo, em índices alternativos, como o Russell 2000, focado em small caps [ações de baixa capitalização], que também vão se beneficiar da recuperação da economia dos EUA”, comenta Luciano Santos, gestor da BNP Paribas Asset Management.

Já em termos setoriais, as oportunidades continuam fortes em tecnologia e também se abrem para os papéis que ficaram para trás em 2020. “Ações de consumo cíclico, do setor financeiro e de commodities são algumas das que estão mostrando que o pior já passou. Apesar de valorizadas, ainda não retornaram às máximas, o que abre espaço para crescimento”, diz William Castro Alves, estrategista-chefe da corretora Avenue Securities, nos EUA.

Uma das opções mais simples para investir em renda variável americana é a compra de BDRs, certificados negociados na bolsa brasileira que espelham o desempenho de uma ação ou de um ETF (Exchange Traded Funds, fundo de índice) negociados nas bolsas dos EUA. É possível ainda investir via fundos ou diretamente nos Estados Unidos, por meio de uma corretora. 

Existe ainda uma vantagem para quem planeja aumentar a posição ou começar a investir agora no mercado americano. Isso porque a recente fraqueza do dólar pode representar um bom momento de entrada para investir internacionalmente. Em abril (até aqui), a divisa americana registrou o primeiro recuo do ano e caiu 2,86% frente a uma cesta de moedas de países desenvolvidos, representada pelo índice DXY, o Dollar Index.

“A política comercial do governo Biden favorece o fortalecimento de outras moedas, não exige um dólar tão forte como o governo anterior. É algo que pode indicar um bom momento para a compra dos ativos”, afirma Takahashi. 

O governo do democrata Joe Biden, a propósito, é o grande responsável pela atual retomada da economia americana. A explicação para a disparada do PIB do país está no acelerado ritmo de vacinação contra a Covid-19 somado aos novos pacotes de estímulos, que injetaram trilhões de dólares na economia dos EUA. 

A renda fixa, por outro lado, pode sofrer alguns contratempos. Isso porque a retomada econômica vem acompanhada de um aumento na inflação, o que pode elevar a taxa de juro de longo prazo precificada pelo mercado. 

Nesta quarta-feira, 28, o Federal Reserve (Fed, banco central americano) reiterou em comunicado que irá manter a taxa próxima a zero. Alguns analistas, porém, alertam que pode ter sido a última decisão de juros antes que o Fed comece a reavaliar sua posição, retirando gradualmente os estímulos.

“Os títulos do Tesouro americano, as Treasuries, passam por maiores incertezas com a possibilidade de inflação a longo prazo, o que faz o mercado de equities [ações] passar a ser a melhor opção de investimentos”, reforça Santos. 

Apesar de a renda variável ser uma grande beneficiária do processo de recuperação pós-pandemia, os benefícios de investir nos Estados Unidos vão além. “Todo investidor precisa diversificar a carteira colocando parte de seu capital no exterior, e a bolsa americana tem ativos do mundo todo”, completa Alves. 

São, portanto, oportunidades que podem se beneficiar da recuperação econômica global que ainda está por vir.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

 

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.


Recomendado para você


Leia também

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter especializada na cobertura de mercados. Formada pela ECA-USP, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM.


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame