Exame Invest
BTG Insights

Este é o principal erro de quem tenta diversificar a carteira

PUBLICADO EM: 5.10.21 | 16H21
ATUALIZAÇÃO: 7.10.21 | 12H37
Conceito famoso entre investidores explica a dificuldade de começar a investir no exterior. Mas o BTG Pactual digital tem a solução — e é mais acessível do que você imagina

BTG Pactual Diversificação Ações Globais FIA BDR Nível I obteve um retorno total em nove meses de mais de 12%

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 5MIN

Em um mundo tão globalizado, onde é possível fazer compras na China pelo celular e receber no Brasil em algumas poucas semanas, fica cada vez mais difícil defender quem ainda não investe no mercado internacional.

Concentrar os investimentos em apenas um mercado, em pleno 2021, é uma decisão equivocada para quem sonha em atingir a independência financeira e que pode blindar sua mente com um conceito que tem nome e definição conhecidos pelo mercado financeiro: o home bias.

Esse termo representa o viés que faz o investidor criar uma falsa sensação de segurança ao fazer a maioria de seus investimentos — ou a totalidade em grande parte dos casos — no país em que nasceu por achar que conhece melhor o mercado e que, portanto, a chance de suas decisões darem errado sejam menores.

Ou seja: o viés explica que investidores preferem manter a maioria do portfólio no Brasil do que diversificar em bolsas do mundo todo.

Numa analogia mais próxima da realidade do povo brasileiro, é como se preferíssemos escolher um smartphone 100% brasileiro, que não funciona bem e com poucas funcionalidades, do que escolher um iPhone, pela simples falta de conhecimento de que o mundo é muito maior — e mais rico — do que o Brasil.

No BTG Pactual digital, os clientes contam com especialistas em vários mercados com um único objetivo: rentabilizar o patrimônio com boas escolhas. Abra agora sua conta e comece a investir.

Insight: investidores frequentemente citam os valores transacionais, como taxas e custódia, a inacessibilidade e a falta de conhecimento do que pode investir no exterior como principais impeditivos para investir internacionalmente. Continue a leitura para descobrir como eliminar esses motivos.

Não queremos diminuir a importância das ações brasileiras no portfólio de um investidor. Na realidade, as ações brasileiras, quando bem escolhidas, podem trazer retornos tão bons quanto os papéis de outros países.

Dito isso, o que desejamos apresentar é o grande potencial do investimento internacional.

Pensando principalmente em novos investidores que ainda não conhecem o mercado no exterior, selecionamos alguns exchange-traded funds (ETFs), que nada mais são do que fundos de investimento que acompanham índices.

Um dos exemplos é o iShares ESG Aware MSCI EM ETF (ESGE), que valorizou mais de 45% entre março de 2020 e março de 2021. Esse ETF acompanha os resultados de mercados emergentes de grande e média capitalização e que seguem boas práticas de ESG. Empresas como a Samsung, a Alibaba, Lenovo e LG estão nesse portfólio.

Ou a iShares ESG Aware MSCI USA ETF (ESGU), que no mesmo período rendeu mais de 75%. Esse ETF conta com empresas famosas internacionalmente, como Apple, Microsoft, Amazon, Facebook, entre outras.

No caso da ESGU, o investidor que aportou 10.000 reais no início de março de 2020, agora possui um patrimônio de 17.500 reais.

É como se ele comprasse um iPhone 13 e no final do período recebesse um Apple Watch e Airpods Pro sem fazer esforço.

Se você perdeu essas valorizações no passado, não há motivo para se lamentar. Na realidade, temos até boas notícias.

Mas, primeiro, é bom que você saiba: identificar essas ações não é uma tarefa fácil e exige tempo e dedicação. É por isso que, na maioria das vezes, contar com especialistas na gestão de seu patrimônio pode ser a melhor escolha.

Além disso, resultados da noite para o dia não existem e são promessas vazias de quem tem interesse em tirar o seu dinheiro. O importante é a construção de patrimônio de médio e longo prazo, com consciência de capturar boas oportunidades que irão render bons frutos no futuro.

Enquanto o mercado no geral ainda pensa que o investidor brasileiro não precisa sair para desbravar o mundo, ou até não acredita que exista público para isso, um fundo de investimento disponível para todos os brasileiros já começou a entregar resultados para seus investidores.

É o caso do BTG Pactual Diversificação Ações Globais FIA BDR Nível I, que divulgou os resultados de valorização de setembro e obteve um retorno total em nove meses de mais de 12%.

O fundo é composto de BDRs que têm como lastro as cotas de diversos ETFs (fundos que acompanham índices) estrangeiros, num total de 15 ativos selecionados em um criterioso método de escolha da gestora de patrimônio do BTG Pactual.

Em destaque estão os Estados Unidos, a União Europeia, o Japão, a China, entre os países em busca de ganhos de capital no médio e longo prazo. E entre os fundos, estão os dois ETFs citados anteriormente com foco em ESG, que garantem ao investidor exposição às melhores empresas dos Estados Unidos e de mercados emergentes. Portanto, representam uma maneira diversificada de investir no setor.

Se você tem vontade de investir no mercado internacional, mas acabou adiando essa decisão por medo ou insegurança de fazer algo errado, esse fundo de BDR pode ser uma boa porta de entrada para a internacionalização de seu patrimônio. Ninguém gosta de perder dinheiro, não é mesmo? Por isso, é bom ter um banco de investimentos com mais de 37 anos de história ao seu lado para começar.

Will Landers, sócio e chefe da mesa de Renda Variável do BTG Pactual Asset Management, explicou sobre o principal diferencial do fundo Diversificação Ações Globais BDR para o investidor brasileiro.

“O fundo oferece de maneira eficiente e transparente um ‘one-stop-shopping’ para o investidor diversificar sua carteira com posições nos principais mercados do mundo, sem ter de se preocupar com taxas extras de FX e custódia. Especialmente em períodos de volatilidade alta nos mercados, esta diversificação geográfica e setorial se torna importante para diminuir a volatilidade nas carteiras dos investidores.”

Agora, dois recados importantes:

  • Lembre-se de que quem agir rápido pegará a melhor parte do processo de valorização do mercado — chegar depois significa entrar na festa depois de muito tempo e perder a melhor parte. Com certeza, você não quer isso para o seu dinheiro.
  • Investir no mercado internacional é praticamente um 3 em 1. Sua carteira automaticamente ganha três novas vantagens:

1. Diversificação de carteira

Reduzindo riscos de seu portfólio de uma forma quase impossível ao investir somente em ativos brasileiros.

2. Potencialização de seu patrimônio

Com a adição das maiores e mais lucrativas empresas do planeta.

3. Redução do risco Brasil

Ao diminuir as chances de performance negativa por questões políticas e econômicas do país. Clicando aqui ou no botão abaixo você acessa a página especial do BTG Pactual Diversificação Ações Globais FIA – BDR Nível I e começa uma nova etapa da sua jornada como investidor.

QUERO CARIMBAR O PASSAPORTE DOS MEUS INVESTIMENTOS NO EXTERIOR

Chegou a hora de quebrar um dos vieses mais presentes nos investidores, com toda a segurança e praticidade do BTG Pactual digital:

A abertura, a manutenção de sua conta e a custódia de seus fundos de investimento são gratuitas no BTG Pactual digital e você conta com atendimento 24 horas, 7 dias por semana — gente de verdade para te ajudar, não robôs.

Abra agora sua conta e invista no mundo inteiro com o apoio do BTG!

Para entender em 1 minuto:

BTG Pactual digital divulga pela primeira vez os números de rentabilidade do fundo Diversificação Ações Globais FIA – BDR Nível I, com retornos em nove meses acima de 12%. O Fundo pode ser acessado direto pelo app do BTG Pactual digital, e com aporte mínimo de 1 real.

 

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame