CSN sobe 5% e lidera ganhos do Ibovespa; IRB vira e tem alta de 13% em dois dias | Exame Invest
MERCADOS

CSN sobe 5% e lidera ganhos do Ibovespa; IRB vira e tem alta de 13% em dois dias

PUBLICADO EM: 29.12.20 | 12H03
ATUALIZAÇÃO: 29.12.20 | 19H14
Confira os principais destaques de ações desta terça-feira

Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Tem experiência de dez anos na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub.



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

O Ibovespa fechou em alta de 0,24%, em 119.409 pontos, no seu quarto pregão seguido de ganhos, depois de ter renovado seu recorde intradiário na manhã desta terça-feira, 29, ao atingir os 119.860 pontos. Entre as principais contribuições positivas em pontos para o índice, figuraram as ações da NotreDame Intermédica (GNDI3), CSN (CSNA3), que ocupa o posto de maior alta do benchmark da bolsa brasileira no ano, com ganhos de 130,42%, e Ambev (ABEV3). Do lado negativo, Vale (VALE3) e os bancos Itaú (ITUB4) e Bradesco PN (BBDC4).

Quer saber como aproveitar o melhor da bolsa em 2021? Conte com a assessoria do BTG Pactual Digital e descubra.

Em variação, CSN, Usiminas (USIM5) e NotreDame Intermédica puxaram os ganhos, com alta de 4,86%, 4,29% e 2,53%, respectivamente. Na contramão, Multiplan (MULT3), Sabesp (SBSP3) e Iguatemi (IGTA3) encabeçaram as perdas, com queda de 2,15%, 2,12% e 1,92%.


Recomendado para você

Confira abaixo os principais destaques de ações desta sessão:

Petrobras 

As ações ordinárias e preferenciais da Petrobras (PETR3; PETR4) fecharam em leve alta de 0,07% e 0,32%, respectivamente, em dia positivo para os preços do petróleo no exterior. No mesmo setor, PetroRio (PRIO3) teve valorização de 1,92%.

Os contratos do petróleo Brent, negociados em Londres e usados como referência pela estatal, avançaram 0,43%, na sua terceira alta nos últimos quatro pregões. O movimento foi impulsionado por expectativas de aumento na demanda por combustível depois da aprovação pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de pacote de estímulo ao país e acordo do Brexit.

Além disso, no radar da Petrobras, a companhia informou que apresentou, ontem, requerimento de arbitragem indenizatória estimada em cerca de 800 milhões de reais contra a Odebrecht. De acordo com o comunicado da empresa, o pedido é relativo à violação dos termos do acordo de acionistas da Braskem (BRKM5), que ambas detêm participação. A petroleira diz, no entanto, que a Braskem não é parte da referida arbitragem, que é protegida por confidencialidade. As ações da Braskem sobem 1,87% hoje.

Vale

Depois de subirem mais de 1% nesta manhã, quando bateram a máxima do dia, as ações da Vale (VALE3) viraram para queda e fecharam em baixa de 0,27%. O movimento acompanhou os preços do minério de ferro, que registraram baixa hoje. Os contratos futuros da commodity negociados na Bolsa de Dalian caíram 2,46%, para 1.010 iuanes a tonelada. Os papéis da Bradespar (BRAP4), holding que detém participação na Vale, recua 0,48%.

IRB Brasil

Depois de manhã de realização de lucros, as ações do IRB Brasil (IRBR3) viraram para alta e subiram 1,23%. Nos últimos dois dias, os papéis acumulam ganhos de cerca de 13% em meio à divulgação de dados mensais da companhia, embora no ano ainda apareçam como a maior queda do Ibovespa, com desvalorização acumulada de 76,82%. O ressegurador informou que registrou prejuízo líquido de 23,8 milhões de reais em outubro deste ano, mas excluindo efeitos não recorrentes lucro líquido de 110,3 milhões de reais.

Para o estrategista Gustavo Cruz, da RB Investimentos, os dados mostraram que a situação da empresa no último trimestre do ano já não está tão negativa, comparando com o período anterior. “O mercado ainda espera um resultado negativo nesse final de ano, mas a perspectiva para o médio prazo melhorou com os dados de outubro. Com essa melhora no balanço, quem estava interessado em comprar o ativo fica mais confortável”, comentou.

Apesar do forte movimento esta semana, as ações da companhia caminham para encerrar o ano como a maior queda do Ibovespa, com desvalorização acumulada de 76,81%.

"Novo" Ibovespa

A B3 divulgou nesta terça a nova carteira do Ibovespa que vai passar a vigorar a partir da próxima segunda-feira, 4, que terá na sua composição 81 ações de 78 empresas. Atualmente são 77 ações de 74 companhias. Com isso, serão incluídos os papéis de Copel (CPLE6), Eneva (ENEV3), JHSF (JHSF3) e Unidas (LCAM3), sem nenhuma exclusão.

Nesta sessão, o papel de Copel recuou 1,16%, Eneva subiu 0,49%, JHSF fechou estável e Unidas com alta de 1,18%. No acumulado do mês, essas ações acumulam ganhos de 10,39%, 1,37%, 4,22% e 4,07%, nesta ordem.

 

AES Tietê

As units da AES Tietê (TIET11) subiram 0,60%. No radar, o Santander cortou a recomendação da empresa de manutenção para underperform, equivalente a venda, com preço-alvo em 14,97 reais, o que implica um potencial de queda de 9,6% em relação ao último fechamento.

Ontem, os papéis subirem 3% depois que a empresa anunciou a compra de parques eólicos localizados no Rio Grande do Norte e Ceará, por 806 milhões de reais.


Leia também

Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Tem experiência de dez anos na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub.


Compartilhe nas redes sociais