Exame Invest
BTG Insights

De olho em inflação e Selic, BTG recomenda FII de CRI para novembro

PUBLICADO EM: 1.11.21 | 18H28
ATUALIZAÇÃO: 2.11.21 | 0H39
Após um mês de estresse para o mercado de capitais brasileiro em outubro, o banco de investimentos inclui fundo de recebíveis imobiliários em sua carteira recomendada de FIIs
Construção; operários; prédios; marquise

Os analistas do BTG Pacutal digital destacaram que o rebalanceamento da carteira de FIIs tem como foco ativos defensivos e com boa liquidez

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

De olho no cenário econômico e fiscal brasileiro — com a tendência de alta da taxa Selic e da inflação — o BTG Pactual digital fez algumas alterações na carteira recomendada de fundos imobiliários para novembro, reduzindo a posição em alguns ativos e incluindo o FEXC11 (BTG Pactual Fundo de CRI) com peso de 2,5%.

Confira as mudanças: 

  • redução de posição no fundo RBRP11 de 7,5% para 5%
  • redução de posição no fundo RCRB11 de 10% para 9%
  • redução de posição no fundo BTCR 15% para 12,5% 
  • aquisição do fundo FEXC11 no peso de 2,5% 
  • aumento de peso no fundo KNCR11 de 15% para 17,5%

Em relatório divulgado pelo banco, os analistas destacaram que o rebalanceamento da carteira de FIIs tem como foco ativos defensivos e com boa liquidez. A decisão foi tomada com base no ciclo de alta da taxa Selic e no aumento na volatilidade dos mercados. 

Saiba em quais FIIs investir para proteger o seu patrimônio da incerteza do mercado. Abra sua conta no BTG Pactual digital.

“Rebalanceamos nossa carteira visando uma maior exposição e diversificação ao segmento de recebíveis imobiliários por conta do cenário econômico de médio prazo ainda desafiador. Com as movimentações mencionadas, aumentamos nossa exposição a fundos de recebíveis, para 45% em quatro fundos [ante 42,5% em três fundos]”, explicam os especialistas no relatório.

BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11)

Sobre a inclusão do BTG Pactual Fundo de CRI (FEXC11), o relatório aponta que o fundo é um investimento atrativo, entregando um dividend yield anualizado de 10,7% e conta com um desconto de aproximadamente 10% em relação ao seu valor patrimonial. 

Em termos do portfólio, o fundo está alocado em uma carteira com 59 CRIs, composta em sua maioria de operações indexadas ao IPCA (67% do PL), mas com exposição ao CDI (29% do PL) e ao IGP-M (4% do PL).  Os analistas também destacam o baixo risco de inadimplência do ativo, que possui devedores com excelente perfil de crédito (73% possuem ratings de AA até AAA). Além disso, o fundo é composto de empreendimentos localizados nas regiões mais resilientes e com melhor liquidez do país. 

Confira os outros 12 ativos que compõem a carteira de FIIs da BTG Pactual digital aqui. 

Cenário econômico

O mês de outubro não foi simples para o mercado de capitais brasileiro. A inflação continua em alta, impulsionada por alimentação, energia elétrica, passagens aéreas e combustíveis. Por causa disso, a expectativa do mercado para o IPCA em 2021 e 2022 já é de 9,5% e 4,3%, respectivamente. 

Nesse cenário, o Banco Central decidiu aumentar em 1,5 ponto percentual a taxa básica de juro, elevando a Selic de 6,25% para 7,75% ao ano. Além disso, novos aumentos já são esperados nas próximas reuniões do Copom. 

No entanto, de acordo com o relatório, a posição do BTG Pactual digital é de que, mesmo em um ciclo de alta da taxa de juro, investir no mercado imobiliário é uma alternativa que o investidor deve considerar apostando nas vantagens do setor como: menor volatilidade em relação ao investimento direto em ações; maior liquidez frente ao investimento direto em imóveis; recebimento de renda recorrente e líquida de impostos para a pessoa física; e potencial ganho de capital no longo prazo.

Em termos de estratégia, o banco afirma que uma carteira diversificada (diferentes gestores e segmentos), com ativos de tijolo de alta qualidade e bem localizados é a melhor forma de estar exposto ao mercado imobiliário de forma resiliente em períodos de maior volatilidade e de se beneficiar em momentos de retomada. 

“Apesar do momento desafiador, acreditamos que as quedas ocorridas ao longo deste ano abriram diversas oportunidades para o investidor que busca tanto o ganho de capital quanto a renda. Na nossa visão, é possível encontrar diversos ativos que oferecem uma relação risco vs. retorno bastante favorável, apoiada em fundamentos sólidos”, conclui o relatório. 

Proteja seus investimentos de momentos de crise com ajuda do maior banco da América Latina. Abra sua conta no BTG Pactual digital.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame