Exame Invest
Mercados

Dinheiro aplicado no Tesouro Direto pode agora ser resgatado no mesmo dia

PUBLICADO EM: 13.9.21 | 12H58
Liquidação de resgates de títulos públicos passa a ser realizada em D+0 a partir desta segunda-feira, 13

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

A partir desta segunda-feira, 13, a liquidação de resgates do Tesouro Direto passa a ser realizada em D+0. Ou seja, quem investe em títulos públicos pode agora receber o valor da aplicação no mesmo dia em que fez o pedido de resgate.

A mudança foi anunciada em junho. Até hoje, os pedidos de resgate aconteciam em D+1. Ou seja, o dinheiro resgatado demorava um dia útil para cair na conta dos investidores.

A regra, contudo, vale apenas para solicitações feitas antes das 13h e em condições normais de operação de mercado. Todos os pedidos de resgate realizados após este horário serão efetuados em D+1, como já ocorria anteriormente.

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a B3 para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, de forma online. Lançado em 2002, surgiu com o objetivo de democratizar o acesso aos títulos públicos, permitindo aplicações a partir R$ 30. Atualmente, possui mais de 1,6 milhão de investidores.

O produto oferece títulos com diferentes tipos de rentabilidade (prefixada, ligada à variação da inflação ou à variação da taxa de juros básica da economia - Selic), diferentes prazos de vencimento e diferentes fluxos de remuneração. Agora, também oferece liquidez diária. Os títulos públicos são as aplicações de menor risco de crédito do mercado.

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame