MERCADOS

Dólar cai para R$ 5,36, a menor cotação em quase 3 meses. Entenda

PUBLICADO EM: 28.4.21 | 17H52
Moeda americana recua pela nona vez nas últimas onze sessões, em movimento global de perda de valor; queda em abril pode ser a maior para o mês desde 2015
Cédulas de 20 dólares

O dólar perde força no mundo e no Brasil não é diferente: queda supera 7% desde o pico no início de março (Getty Images)

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 1MIN

O dólar fechou em forte baixa de 1,86% nesta quarta-feira, 28, descendo à casa de 5,36 reais na venda. É o menor patamar de encerramento desde 2 de fevereiro (5,3562 reais).

A moeda americana rompeu dois importantes suportes técnicos, com o real no topo dos mercados de câmbio em sessão marcada por sinalizações do Fed sobre a política monetária nos Estados Unidos, ingressos de recursos e movimentações em torno da formação da Ptax de fim de mês. A Ptax é a taxa média informada pelos dealers de dólares no mercado.

Com a queda desta quarta, o dólar deixou para trás suas médias móveis de 100 e 200 dias, movimento que, se consolidado, pode retroalimentar novas baixas.

Fatores externos estão por trás da perda de força do dólar, na medida em que a retomada da economia americana e o avanço da vacinação em países ricos trazem de volta o apetite a risco por parte de investidores internacionais. É um fenômeno que favorece emergentes como o Brasil.

O real teve o melhor desempenho global nesta sessão, seguido de perto pelo sol peruano (+1,8%), que vem de fortes perdas recentes.

O dólar no Brasil caiu em nove das últimas onze sessões, período em que recuou 6,37%. Desde o pico de 9 de março (5,7927 reais), a moeda perde 7,45%.

Em abril, a cotação acumula desvalorização de 4,78%, a caminho da maior baixa para o mês desde 2015 (-5,57%).

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame