Exame Invest
Mercados

Evergrande faz acordo com um dos credores e ações disparam 40%

PUBLICADO EM: 22.9.21 | 7H35
ATUALIZAÇÃO: 22.9.21 | 9H13
Negociação impede um dos calotes que estavam para acontecer e pode sinalizar acordo maior; Partido Comunista pode estatizar empresa, diz site

Logo da Evergrande, em Xangai, na China | Foto: Aly Song/Reuters (REUTERS)

Imagem da Editoria Exame Invest
Da redação, com agências



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

A principal unidade da Evergrande, a gigante do setor imobiliário da China, informou ao mercado nesta quarta-feira, dia 22, que negociou um acordo com os detentores de títulos para liquidar os pagamentos de juros de um título doméstico, o que ajudou a acalmar os temores de um default iminente que poderia desencadear uma crise no país.

O banco central da China também injetou 90 bilhões de yuans (cerca de 14 bilhões de dólares) no sistema bancário, em um sinal de apoio à medida que os mercados financeiros do país se reabriram e se estabilizaram após um intervalo de dois dias para o Festival do Meio do Outono.

Segundo o site especializado Asia Markets, o Partido Comunista da China pode assumir a Evergrande, em uma estatização para impedir uma quebra que poderia causar perdas enormes ao mercado e à economia local.

A Evergrande, com uma dívida acima de 300 bilhões de dólares, está tão entrelaçada com diferentes setores da economia da China -- de investidores de varejo a empresas de infraestrutura que medem a demanda por commodities -- que seu destino e temores de contágio mantiveram os mercados globais de ações e títulos em suspense.

O Hengda Real Estate Group disse em comunicado que liquidaria o pagamento do cupom nesta quinta-feira, 23, de seu título de 5,8% negociado em Shenzhen em setembro de 2025, acrescentando que o título "já foi resolvido por meio de negociações privadas".

Não forneceu mais detalhes e não estava claro se as negociações sugeriam alguma melhoria na saúde financeira da Evergrande ou progresso em direção a uma reestruturação.

A empresa deve pagar 232 milhões de yuans (cerca de 36 milhões de dólares) em juros sobre o título até amanhã.

A Evergrande não fez menção de um pagamento de juros de bônus de 83,5 milhões de dólares também com vencimento amanhã ou de 47,5 milhões de dólares com vencimento na próxima semana.

Mas o anúncio da Hengda pareceu estabilizar o nervosismo do mercado e os futuros do S&P 500 subiram. Já as ações da Evergrande disparam cerca de 40% na Bolsa de Frankfurt, já que em Hong Kong, onde são listadas, elas não foram negociadas devido a um feriado.

"Ainda estamos tentando entender o que esse pagamento significa para os outros títulos", disse uma fonte familiarizada com a situação, que não quis ser identificada por não estar autorizada a falar com a mídia.

"Mas imagino que eles gostariam de estabilizar o mercado e fazer outros pagamentos de cupons, dado o exame minucioso."

A Evergrande, que sintetizou o modelo de negócios de empréstimo para construção e já foi o desenvolvedor que mais vende na China.

Muitos analistas têm minimizado o risco de que seu possível colapso gere um efeito semelhante ao da quebra do Lehman Brothers em 2008, que desencadeou a crise financeira global.

Outro efeito temido de sua quebra seria uma crise de liquidez, que congelaria o sistema financeiro e se espalharia globalmente. Mas as preocupações permanecem sobre as consequências se um colapso desencadear um crash imobiliário na segunda maior economia do mundo.

A injeção de dinheiro do PBoC (o banco central da China) sugeriu algumas tentativas oficiais de conter a crise, disse Yasutada Suzuki, chefe de investimentos EM do Sumitomo Mitsui Bank, em Tóquio.

“Suspeito que a injeção seja para lidar com quaisquer preocupações sobre a Evergrande e isso mostra que o PBoC está tentando apoiar o mercado (monetário)”, disse ele.

Apesar da iminência de inadimplência, alguns fundos têm aumentado suas posições nos últimos meses. A BlackRock e os bancos de investimento HSBC e UBS estão entre os maiores compradores da dívida da Evergrande, segundo dados da Morningstar. Outros detentores de títulos incluem a UBS Asset Management e a Amundi, a maior administradora de ativos da Europa.

Desde 17 de setembro, os títulos onshore da Evergrande só podem ser negociados por meio de transações negociadas, e os dados do Refinitiv não mostraram transações registradas nesta quarta. Os títulos em dólar permaneceram estáveis .

A S&P Global Ratings disse na segunda-feira, dia 20, que acredita que o governo chinês apenas faria uma intervenção no caso de um contágio de longo alcance que represente riscos sistêmicos para a economia.

O BNP Paribas estimou que menos de 50 bilhões de dólares da dívida da Evergrande são financiados por empréstimos bancários, sugerindo que o setor bancário terá uma reserva suficiente para absorver dívidas incobráveis.

"Eu caracterizaria a Evergrande como uma detonação telegrafada e controlada", disse Samy Muaddi, gerente de portfólio do fundo T. Rowe Price Emerging Markets Bond, 5,1 bilhões de dólares, que não tem  posição na empresa.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da redação, com agências


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame