Exame Invest
Onde Investir

Febre dos NFTs chega às Olimpíadas: vale a pena investir?

PUBLICADO EM: 23.7.21 | 13H09
ATUALIZAÇÃO: 23.7.21 | 13H25
Comitê Olímpico Internacional lança broches negociáveis; novo lote foi lançado nesta sexta
A man wearing a protective face mask, following an outbreak of the coronavirus, stands in front of The Tokyo Olympic flag 1964 at The Japan Olympics museum in Tokyo

Olimpíadas de Tóquio | Foto: Athit Perawongmetha/Reuters (REUTERS)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Tecnologia utilizada para dar autenticidade a produtos digitais, os NFTs (sigla em inglês para tokens infungíveis) têm se popularizado no mundo dos esportes e chegaram às Olimpíadas de Tóquio.

Sem a possibilidade de ir ao Japão assistir aos jogos, os fãs do evento mais antigo da história poderão adquirir colecionáveis licenciados das Olimpíadas sem sair de casa. Isso graças a uma parceria entre o Comitê Olímpico Internacional e a nWayPlay para o lançamento de broches olímpicos em forma de NFTs. 

Todos os broches tokenizados lançados até hoje já foram vendidos. Mas quem ficou de fora ainda terá a chance de adquirir o seu próprio no lançamento desta sexta-feira, 23, que marca a abertura oficial das Olimpíadas. 

A caixa contendo cinco unidades de broches tokenizados das Olimpíadas de Tóquio está à venda no site da nWayPlay por 24 dólares. Com 3.500 caixas, o lote estará disponível por apenas 24h ou até esgotar o estoque. 

Até hoje foram lançados três lotes de broches tokenizados, contendo edições de Olimpíadas anteriores. Entre os broches mais raros estão o das Olimpíadas de 1912, a primeira a contar com atletas dos cinco continentes, com apenas um exemplar. Com o mesmo nível de raridade está o das Olimpíadas de 1920, que marcou o primeiro juramento olímpico da história.

Embora os broches de Olimpíadas anteriores não estejam mais disponíveis, eles podem ser obtidos de forma direta por meio do marketplace da nWayPlay. É aí onde está a oportunidade de ganhar dinheiro com os colecionáveis.

Broche das Olimpíadas de 1912Ainda que uma novidade nas Olimpíadas, os NFTs já fazem sucesso na NBA. No caso, em vez de broches, os fãs de basquete negociam momentos de seus jogadores favoritos. Como uma enterrada perfeita de Lebron James ou o arremesso de três pontos de Stephen Curry. Por dia, esse mercado já movimenta mais de 200 milhões de dólares.

Negociados na plataforma NBA Shot, os NFTs chegam a valer mais de centenas de milhares de dólares. Assim como os broches olímpicos, a raridade é o que dita o valor dos NFTs da NBA. A enterrada de Ja Morant, de apenas 21 anos, por exemplo, chegou a ser vendida por 100.000 dólares. Com apenas um detentor, hoje ela está à venda por 250.000 dólares.

No atletismo, o medalhista olímpico em maratonas e recordista mundial da categoria, Eliud Kipchoge chegou a vender seus melhores momentos no esporte por 50.000 dólares canadenses, cerca de 40.000 dólares americanos. Seu recorde, alcançado em 2019 ao completar a Maratona de Viena em menos de duas horas, virou token.

Se o valor dos broches das Olimpíadas irão chegar a ser vendidos a valores semelhantes aos de momentos Kipchoge ou da NBA, só o tempo dirá.

Mas, para quem não quer desembolsar alguns dólares na esperança de que o NFT olímpico se valorize, o Comitê Olímpico Internacional anunciou que os broches poderão ser adquiridos de graça por meio de um jogo de video game desenvolvido em blockchain que será lançado antes das Olímpiadas de Inverno de 2022. 

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame