Exame Invest
PME

Healthtech Alice capta US$ 33,3 milhões em rodada Series B

PUBLICADO EM: 11.2.21 | 5H43
ATUALIZAÇÃO: 11.2.21 | 8H02
Startup que faz a gestão da saúde de seus usuários cresce 51% ao mês; aporte conta com ThornTree Capital Partners, Kaszek Ventures, Canary e Maya Capital
alice-healthtech-socios

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e passagens por Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos (C6 Bank) e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Dedicada a uma das áreas de maior necessidade de atendimento da população, a healthtech brasileira Alice anuncia nesta quinta-feira, 11, um aporte de 33,3 milhões de dólares (cerca de 180 milhões de reais ao câmbio da quarta) como rodada Series B.

Invista em sua saúde mental para alcançar seu potencial. Conheça o curso Mente em Foco

O investimento na startup dedicada a fazer a gestão da saúde de seus usuários é liderado pelo fundo americano ThornTree Capital Partners e conta com aportes da Kaszek Ventures, Canary e Maya Capital, investidores de rodadas anteriores (Series A e Seed).

Entram também novos fundos, como a Endeavor Catalyst. Ao total, já foram investidos 47,8 milhões de dólares na startup fundada em 2019.

A healthtech se propõe a ir além de um plano de saúde convencional, fazendo uso da tecnologia para fazer a gestão recorrente da vida de seus pacientes -- chamados de membros -- de maneira mais abrangente e que permita um acompanhamento do histórico de saúde de maneira acessível pelos dois lados: médicos e usuários.

"Crescemos em média 51% ao mês desde nosso lançamento (em 2019). Estimamos quintuplicar o número de membros até o final do ano", afirma André Florence, CEO e cofundador da Alice. São atualmente 1.100 pacientes (ou membros).

"O impacto positivo que estamos causando na saúde das pessoas é incrível. A Alice é a prova de que ser uma gestora de saúde individual, e não um convênio tradicional, é o caminho que torna as pessoas mais saudáveis", complementa.

O histórico de saúde -- incluindo consultas e resultados de exames -- dos pacientes fica registrado no aplicativo da startup. Hospitais, laboratórios e médicos especialistas parceiros da Alice estão integrados na plataforma da healthtech. "Nós acreditamos genuinamente que as pessoas devam ser tratadas como pessoas de forma integral, e não como 'pacientes' sem poder de escolha e sem voz".

Florence, que foi ex-executivo-chefe financeiro da 99 antes da venda para a chinesa Didi, diz que o principal diferencial da Alice é um grupo formado por médicas(os), enfermeiras(os), nutricionistas e preparadores físicos que acompanham os pacientes (membros) para cuidar de sua saúde de forma preventiva e sistemática, tentando evitar que tenham que recorrer à empresa apenas em casos de doença. É o chamado "Time de Saúde Alice".

O canal principal de comunicação é o aplicativo, que permite o contato por meio de texto, áudio ou videochamada.

Atualmente estão integrados à plataforma da Alice o Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o Hospital Sabará e a ProMatre Maternidade e os laboratórios Fleury e A+, além dos médicos especialistas atualmente dedicados somente à Alice ou a consultas particulares. A Alice hoje atua na cidade de São Paulo, com cobertura nacional para emergências e urgências.

Destino da nova rodada

Os investimentos da Series B serão direcionados para contratações de mais profissionais de tecnologia, negócios e saúde, para a ampliação de produtos e para novas parcerias no setor de medicina. "Teremos boas novidades no campo das parcerias para anunciar em breve", afirma o CEO.

Além de Florence, são cofundadores da Alice os empreendedores Guilherme Azevedo (um dos fundadores do Dr. Consulta, do qual ainda é um dos acionistas) e Matheus Moraes, chefe de Operações da heathtech e que ocupou o mesmo cargo também na 99.

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e passagens por Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos (C6 Bank) e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame