Exame Invest
Mercados

Ibovespa recua 0,15% seguindo Wall Street; dólar cai pelo 3º dia seguido

PUBLICADO EM: 13.1.22 | 10H41
ATUALIZAÇÃO: 13.1.22 | 18H54
Alta da Petrobras e ganho dos frigoríficos impediram queda mais forte do índice; Inter desaba quase 10%
Bolsa fundos sacam 31 bilhões em ações

Painel de cotações da B3 | Foto: Germano Lüders/Exame

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Após passar o dia oscilando próximo à estabilidade, o Ibovespa fechou esta quinta-feira, 13, em leve queda, quebrando uma sequência de dois pregões consecutivos de ganhos. 

O principal índice da B3 ficou dividido entre os ganhos das ações locais, lideradas pela Petrobras (PETR3/PETR4) contra a cautela no mercado americano sobre os próximos passos do Federal Reserve (Fed). 

Nas bolsas americanas, o Nasdaq afundou mais de 2,5% em meio à sinalização da vice-presidente do Fed, Lael Brainard, de que está aberta a um aumento da taxa de juro dos EUA já em março. A declaração de Brainard foi dada em depoimento ao Senado.

O dia foi marcado ainda por posicionamentos dos presidentes do Fed de Richmond, da Filadélfia, e de Chicago, com todos se mostrando preocupados com o avanço da inflação e dispostos a subir juros. As declarações levaram a uma liquidação na renda variável americana, em especial nos papéis de tecnologia. 

No câmbio, por outro lado, a questão parece estar mais precificada, com o dólar perdendo força em relação a outras divisas. Contra o real, a moeda americana registrou o terceiro dia consecutivo de queda – ainda que tenha se afastado das mínimas no final da sessão. Mais cedo, o dólar chegou a recuar para o patamar dos 5,50 reais.

No fechamento:

  • Ibovespa: - 0,15%, aos 105.592 pontos;
  • Dólar: - 0,10%, a 5,530 reais;
  • Dow Jones (EUA): - 0,49%;
  • S&P 500 (EUA): - 1,42%;
  • Nasdaq (EUA): - 2,51%.

Em dúvida sobre onde investir em 2022? Saiba onde estão as melhores oportunidades em relatório gratuito

Na bolsa, o que sustentou o índice foram as ações de commodities. A maior contribuição positiva veio da Petrobras (PETR3/PETR4). Com a segunda maior posição no Ibovespa, a companhia registrou valorização superior a 2%. A PetroRio (PRIO3) também encerrou o dia em alta mesmo com o petróleo registrando um dia de perdas.

  • PetroRio (PRIO3): + 3,09%;
  • Petrobras (PETR3): + 2,42%;
  • Petrobras (PETR4): + 2,02%;
  • 3R (RRRP3): - 0,64%.

O setor de frigoríficos foi outro destaque do pregão, após a BRF (BRFS3) formar uma joint venture com o fundo soberano da Arábia Saudita. A parceria envolve investir 350 milhões de dólares na cadeia de produção de frangos. Segundo comunicado, a BRF ficará com 70% do negócio e a Arábia Saudita, com o restante. A notícia puxou para cima os papéis do setor, com destaque para a concorrente Marfrig (MRFG3), que liderou os ganhos do Ibovespa.

  • Marfrig (MRFG3): + 5,18%;
  • Minerva (BEEF3): + 3,06%;
  • BRF (BRFS3):  + 0,71%;
  • JBS (JBSS3): + 0,58%.

No campo negativo, as ações ligadas ao varejo ficaram entre as maiores baixas, mesmo após dados animadores da economia brasileira. Nesta manhã, o indicador do IBGE para o setor de serviços surpreendeu positivamente ao revelar crescimento de 2,4% na comparação mensal e 10% na anual. As projeções de mercado apontavam para uma expansão de apenas 0,2% no mês e de 6,5% em relação ao mesmo período de 2020.

O grande destaque negativo, no entanto, ficou novamente com os papéis ligados à tecnologia, que refletiram as quedas registradas no mercado americano. Inter (BIDI11) liderou as perdas.

  • Inter (BIDI11): - 9,87%
  • Locaweb (LWSA3): - 8,38%;
  • Natura (NTCO3): - 5,09%;
  • RaiaDrogasil (RADL3): - 4,98%;
  • Méliuz (CASH3): - 4,83%.

Queda no exterior

Para além das falas da vice-presidente do Fed, investidores globais também ficaram atentos à divulgação de dados que indicam a força da recuperação da economia americana e do avanço da inflação. Ou seja, se os preços disparam e a economia cresce, seria hora de apertar a política monetária subindo juros. No entanto, dados divulgados nesta manhã apontam na direção contrária. 

No campo da inflação, o Índice de Preços ao Produtor americano (PPI, na sigla em inglês) saiu levemente abaixo do esperado para o mês de dezembro, encerrando o ano de 2021 em 9,7% – contra consenso de 9,8%. E o número de pedidos semanais de seguro desemprego no país também ficou pior do que o esperado, registrando 230.000 pedidos contra 200.000 previstos.

Com a inflação e o mercado de trabalho mostrando certa fraqueza, haveria a possibilidade de uma abordagem mais branda das políticas contracionistas do Fed – o que é positivo para as bolsas e para opções mais arriscadas de investimentos. 

No entanto, analistas alertam que os dados não são suficientes para reverter a tendência. “Ainda vemos ambiente de aceleração dos núcleos de inflação nas próximas leituras”, avaliam os analistas do BTG Pactual, em nota.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme | Beatriz Quesada

Repórteres da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame