Exame Invest
Mercados

Ibovespa segue clima recuperação no exterior e tem forte alta

PUBLICADO EM: 13.9.21 | 9H15
ATUALIZAÇÃO: 13.9.21 | 15H24
Movimentação política em Brasília e avanço nas projeções de inflação seguem preocupando investidores

Resumo do investidor

Às 11h20: - Ibovespa sobe 1,68%, a 116.203ontos; - Dólar comercial recua 0,69%, a 5,231 reais; - EUA: Dow Jones sobe 0,28%, S&P 500 cai 0,17% e Nasdaq recua 0,25%.

B3; Bolsa; Bovespa; Painel; Investimento; Ações

Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Beatriz Quesada

Repórter de mercados, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM | beatriz.quesada@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

O Ibovespa sobe forte nesta segunda-feira, 13, acompanhando o clima positivo nos mercados internacionais. Às 15h20, o principal índice da B3 sobe 1,68%, aos 116.203 pontos. O dólar comercial acompanha o tom favorável ao risco e recua 0,69%, sendo negociado a 5,231 reais. O tom otimista ajuda na recuperação do Ibovespa, que fechou a última semana com perdas de 2,26% em reação às instabilidades políticas. 

Permanece no radar o ambiente político de Brasília, após manifestações da oposição neste fim de semana. Mesmo com a perspectiva de um cenário turbulento até as eleições do ano que vem, a percepção do mercado é de que o cenário político está um pouco mais calmo nesta segunda, o que ajuda a bolsa a retomar tração.

    “Os protestos contra Bolsonaro foram de baixa adesão, e o presidente não entrou em novas polêmicas neste final de semana. Isso pode ser visto como positivo já que o mercado espera um avanço da agenda política em Brasília”, argumentou Jerson Zanlorenzi, responsável pela mesa de renda variável e derivativos do BTG Pactual digital, na Abertura de Mercado desta segunda-feira.

    A reforma administrativa deve ser pautada nesta semana, mas o principal foco será a votação da PEC do parcelamento dos precatórios. A grande questão é se a proposta será mantida dentro ou fora do teto dos gastos – principal âncora fiscal do País. 

    Segundo a Bloomberg, o Governo quer negociar com o Congresso uma alteração no texto da PEC dos precatórios para resolver o impasse no Orçamento de 2022. A mudança estabeleceria um teto para despesas com precatórios. Assim, as sentenças judiciais seriam pagas integralmente, desde que respeitado o limite constitucional, e não em parcelas como prevê o texto original da PEC.

    A questão do Orçamento de 2022 se torna mais urgente diante do avanço da inflação, que pressiona as contas do governo. As expectativas do mercado para inflação apresentaram uma nova alta para 2021 e 2022 segundo o Relatório Focus divulgado nesta manhã. Para este ano, a mediana das projeções subiu de 7,58% para 8%. Já para 2022, as estimativas romperam o patamar de 4%: agora a projeção mediana é de 4,03% contra 3,98% anteriormente.

    Durante a semana, ainda serão divulgados o IBC-Br, conhecido como prévia do PIB, e os dados de crescimento do setor de varejo.

    Destaques da bolsa

    Os principais destaques do dia são os papéis da CVC (CVCB3) e da Yduqs (YDUQ3) que sobem mais de 7% com investidores rebalanceando as perdas da última semana.

    Quem também se destaca é o Banco Pan (BPAN4), com alta de 7,2%. Além do reajuste de posições, os papéis do banco também reagem à notícia de que o Pan adquiriu participação majoritária na Mobiauto, maior plataforma digital de compra e venda de veículos independente do país.

    Ainda no campo positivo, as ações da Petrobras (PETR3/PETR4) sobem mais de 3% e ajudam a dar o tom positivo do Ibovespa. Os papéis reagem à alta do petróleo no mercado internacional. Analistas estão temerosos que o impacto do furacão Ida nos Estados Unidos afete a oferta da commodity.

    Ainda no campo das commodities, as ações da Vale (VALE3) recuam 0,6% em reação à queda de 4,52% no preço do minério de ferro. A queda segue refletindo preocupações dos investidores quanto à redução da demanda da China pelo minério.

    Em variação, a maior queda do dia fica com os papéis das exportadoras Marfrig (MRFG3) e Suzano (SUZB3), que recuam quase 2%, prejudicadas pela queda do dólar.

    Fora do Ibovespa, ações da Raízen (RAIZ4) disparam 7% após oito instituições financeiras recomendarem compra para o papel.

    Bolsas internacionais

    No exterior, os principais índices de ações avançam, recuperando parte das perdas da última semana, quando preocupações com a redução de estímulos por bancos centrais pesou negativamente sobre as bolsas. 

    Nos Estados Unidos, onde investidores aguardam dados de inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês), que sairá nesta terça-feira, 14, o índice Dow Jones avança 0,28%, após cinco quedas consecutivas. Na Europa, o Stoxx 600 fechou em alta de 0,29%.

    Já na China, o aperto regulatório sobre empresas de tecnologia voltou à tona com as intenções do governo local em interferir no Ant Group, fintech do Alibaba, com 1 bilhão de usuários. 

    Investidores reagiram a uma informação de que o governo pretende fatiar o Alipay, uma divisão da Ant Group. Após a nova ofensiva chinesa, as ações do Alibaba fecharam em queda de 4,23%, em Hong Kong, enquanto o principal índice da bolsa local, o Hang Seng caiu 1,5%, descolado do restante do mercado internacional.

    Foto de Beatriz Quesada da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
    Beatriz Quesada

    Repórter de mercados, passou pelas redações da revista Capital Aberto e rádio BandNews FM | beatriz.quesada@exame.com


    Compartilhe nas redes sociais
    Mosaico do rodapé com as cores da Exame