Exame Invest
MERCADOS

Ações do IRB disparam 17,8% com investidor inspirado na GameStop

PUBLICADO EM: 28.1.21 | 10H13
ATUALIZAÇÃO: 28.1.21 | 18H27
Pequenos investidores se organizam em grupo do Telegram, que já conta com 8.000 membros; nos EUA movimento da GameStop teve início no Reddit
IRB Brasil RE

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

As ações da GameStop, maior rede americana de lojas de videogame, disparam mais de 8.000% em seis meses, acumulando alta de 1.744% somente desde o início do ano. A forte onda compradora dos papéis foi organizada no fórum WallStreetBets, na rede social Reddit, para impor perdas a fundos que operavam vendidos, apostando na queda dos papéis.

No Brasil, pequenos investidores passaram a se organizar no Telegram em busca de efeito semelhante com as ações do IRB Brasil (IRBR3). O grupo "Short Squeeze IRB" contava com cerca de 8.000 membros na manhã desta quinta-feira, 28, e seguia crescendo.

Conheça o maior banco de investimentos da América Latina e invista com os melhores assessores

As ações do IRB na bolsa brasileira abriram em forte alta nesta quinta e passaram a ganhar força com o avanço do pregão. No fim do dia, a valorização foi de 17,8%, um destaque do dia no Ibovespa.

Entenda o que é short squeeze

"Nosso grande objetivo é ver um SHORT SQUEEZE NO IRB (sic)", diz a principal mensagem do grupo. O short squeeze é o nome dado à prática de mercado de elevar o preço das ações com o intuito de levar investidores com posições vendidas a terem que comprar os papéis da companhia, o que acaba elevando ainda mais o preço do ativo.

Para formar uma posição vendida, o investidor aluga as ações de outro investidor que não esteja interessado em se desfazer de sua posição comprada e, imediatamente, coloca esse papel à venda no mercado. Dessa forma, se os papéis caírem, ele recompra por um preço menor e as devolve a quem emprestou as ações, obtendo lucro. Se o preço sobe, o investidor que alugou as ações paga mais caro pelas ações para devolvê-las, obtendo perdas.

Na prática, o potencial de ganho com a queda das ações é limitado, mas o de perdas com a alta dos papéis é infinito. Se o valor das perdas superar ou se aproximar do valor exigido como margem de garantia, a operação pode ser fechada de forma compulsória, com a compra das ações e, consequentemente, pressionando o preço dos papéis para cima.

Além de sugerirem os membros do grupo a fazer ordens de compra com preços elevados, entre as principais instruções do grupo no Telegram estão a de retirar as ações compradas da disponibilidade para aluguel.

"Se o contrato está para vencer e não tem ações disponíveis para aluguel, o investidor não consegue renovar a posição e, automaticamente, ele precisa comprar todos os papéis de volta", explica Bruno Lima, analista-chefe da EXAME Research.

Até o início do pregão desta quinta, 9% das ações do IRB em livre circulação estavam em posições vendidas -- quantidade considerada alta. No caso da Petrobras, por exemplo, um dos papeis mais negociados, somente 2,7% das ações estavam em aluguel.

Embora a grande posição vendida em IRB favoreça os planos dos cerca de 7.000 potenciais investidores no grupo do Telegram, os papéis da resseguradora possuem volume de negociação relativamente alto na média diária, de cerca de 500 milhões de reais. Isso pode colocar por água abaixo a ideia de tornar o IRB a GameStop brasileira.

"Se fosse em uma ação menos negociada seria menos difícil. Se houver 10.000 pessoas no grupo e cada um comprar 10.000 reais de ações do IRB, isso vai equivaler a apenas 2% do volume total, o que não é muita coisa. A esperança [deles] é que algum grande fundo queira entrar", diz Lima. "Se eu pudesse dar uma dica eu diria: fique fora disso."

Embora o administrador do grupo no Telegram afirme que o objetivo seja fazer o short squeeze nas ações do IRB, ele diz não fazer recomendação de compra ou venda e alega que o que é publicado são apenas "opiniões pessoais", possivelmente para tentar se livrar de possíveis punições pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A CVM se pronunciou por meio de nota e disse que "acompanha e analisa informações e movimentações envolvendo companhias abertas, tomando as medidas cabíveis sempre que necessário".

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame