Exame Invest
Minhas Finanças

Startup lança seguro 'liga e desliga' para pertences deixados no carro

PUBLICADO EM: 29.9.21 | 10H06
ATUALIZAÇÃO: 29.9.21 | 14H49
Garantido pela Tokio Marine, apólice tem cobertura de roubo ou furto que inclui smartphones, carteira, óculos e cosméticos

A proteção custa R$ 0,49 por hora, e garante indenização máxima de R$ 1 mil (Getty Images/iStockphoto)

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

A startup 180°, que atua como corretora de seguros, lança uma apólice com cobertura intermitente para pertences deixados no carro estacionado na rua. Ou seja, o seguro pode ser ligado quando o consumidor precisar da proteção e desligado quando isso não for mais necessário. O valor da proteção é pago por hora.

A proteção funciona em parceria com o Zul+, app de compra de créditos de estacionamento a exemplo da Zona Azul em São Paulo. Ela está disponível primeiramente para o público de Curitiba e só pode ser ativada no período em que o carro estiver estacionado na área do EstaR, o equivalente da "Zona Azul" na capital do Paraná.

A 180º é uma insurtech, nome dado a startups que operam com soluções e produtos de seguros.

O seguro é garantido pela Tokio Marine Seguradora e inclui cobertura de roubo ou furto de itens como smartphones, carteira, óculos e cosméticos, por exemplo, por R$ 0,49 por hora, garantindo indenização máxima de R$ 1 mil. É possível pré-contratar o valor da proteção por um número determinado de horas. Conforme a proteção é utilizada, esses créditos vão se esgotando. É o mesmo funcionamento de um celular pré-pago, por exemplo. 

A insurtech analisou que muita gente opta por não estacionar na rua pela insegurança de deixar itens dentro do carro, explica o CEO e sócio fundador da 180°, Mauro Levi D’Ancona. "O seguro, por ser simples e acessível, pode ser uma opção para quem não quer gastar com estacionamentos". 

O Zul+ tem planos de estender o produto para as outras praças em que atua, como Fortaleza, Salvador e Belo Horizonte. Porém, ainda não há previsão de quando o serviço será disponibilizado para outras cidades. Em São Paulo, a insurtech não pode atuar com a Zul+, pois quem opera a zona azul na cidade é a Estapar.

A ideia também é estender as proteções e incluir riscos na lataria ou quebra de vidro do carro enquanto estiver estacionado na rua.

Como funciona o seguro intermitente

Assim que o consumidor contrata a proteção pelo app, os bens deixados no veículo são imediatamente protegidos em caso de roubo ou furto do veículo.

Informações, dúvidas e aberturas de sinistros podem ser feitas diretamente pelo site da 180° ou pelo app Zul+. O cliente também pode abrir sinistros diretamente pelo WhatsApp ou pelo 0800. Todos os processos têm tecnologia antifraude. Para obter a indenização, a realização do B.O é obrigatória.

Seguro complexo

Regulamentado desde 2019 pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), o seguro do tipo liga-desliga ainda não havia sido oferecido por seguradoras até hoje. Segundo D´Ancona, uma das razões para isso é que a tecnologia necessária para gerenciar o produto é complexa. "As seguradoras precisam emitir certificados ao regulador de hora em hora, algo que não é fácil de administrar".

Na parceria com a Zul+, é a 180° que vende a proteção, emite os certificados e cuida do pós-venda. "A Tokio se responsabiliza apenas pelas indenizações". Antes de o produto começar a rodar, passou por um piloto com alguns usuários. Recentemente, a insurtech recebeu um aporte de 8 milhões de dólares na modalidade seed capital, feito por fundos de investimento.

Além do seguro intermitente para pertences deixados no carro, a 180° já desenvolveu um seguro imobiliário com assistência por pontos do Brasil em parceria a Loft; o seguro de proteção contra roubo para cartão de benefícios e o seguro de vida Caju, que pode ser adquirido com um pacote de assistências básicas de saúde, oferecido por empresas para colaboradores.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso.

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame