Exame Invest
Mercados

Intercement pede IPO e disputa investidor com CSN Cimentos

PUBLICADO EM: 20.5.21 | 0H35
ATUALIZAÇÃO: 20.5.21 | 11H10
CSN Cimentos e CBA também pediram registro para abertura de capital nesta semana, em meio a forte crescimento da demanda com a retomada da construção civil
cimento-obras-operarios-brasil-betoneira

Operários trabalham com caminhão de cimento em obra | Foto: Washington Alves/Reuters

Imagem da Editoria Exame Invest
Reuters



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A Intercement Brasil pediu registro para uma oferta inicial de ações (IPO). A companhia é um braço do Grupo InterCement, que também tem operações em países como Argentina, Egito, Moçambique e África com Sul, com capacidade produtiva de 37 milhões de toneladas de cimento por ano.

No Brasil, a Intercement é a segunda maior produtora de cimento do país, com capacidade instalada de 17,2 milhões de toneladas, distribuídas entre suas 15 unidades. Em 2020, vendeu cerca de 8,7 milhões de toneladas, incluindo as marcas Cauê, Goiás e Zebu. A subsidiária brasileira também tem 19 fábricas de concreto e 11 pedreiras de calcário.

A Intercement ainda tem fatias minoritárias em três hidrelétricas (Tocantins, Rio Grande do Sul e Santa Catarina), que produzem 74% da energia usada em suas fábricas.

No ano passado, a empresa teve receita líquida de 2,4 bilhões de reais, aumento de 26,9% em relação a 2019, com a margem Ebitda subindo de 13,9% para 28,6%.

A operação será coordenada por Bradesco BBI, Bank of America, Itaú BBA, JPMorgan e UBS-BB.

O anúncio acontece um dia depois de a rival CSN Cimentos, da siderúrgica CSN (CSNA3), ter também pedido registro para um IPO.

O pedido de registro para IPO também acontece em meio a uma escalada dos preços mundiais de commodities, apoiada na expectativa de que a demanda hoje já forte da China por esses produtos deve ser ampliada nos próximos meses e anos por outros grandes mercados, como o dos Estados Unidos.

Também na véspera, a Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), do grupo Votorantim SA, pediu registro para IPO.

Imagem da Editoria Exame Invest
Reuters


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame