ESG

Investidores aumentam pressão para que IBM adote medidas de diversidade

PUBLICADO EM: 7.6.21 | 16H56
Até o ano passado, os esforços corporativos em diversidade se concentravam apenas em gênero. Agora, a pressão aumentou para que empresas diversifiquem outros aspectos
IBM

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Por Jeff Green e Saijel Kishan, da Bloomberg

O ano de 2021 está se preparando para bater recordes de propostas de diversidade em empresas dos EUA.

Nove em cada dez investidores apoiaram um pedido no mês passado para que a International Business Machines (IBM) produza um relatório anual de diversidade. Cinco outras empresas, incluindo a firma de energia renovável First Solar e a gigante química DuPont de Nemours, viram mais de 80% dos acionistas apoiarem propostas de diversidade.

“Estamos vendo uma mudança no sentimento do investidor”, disse Kristin Hull, fundadora da Nia Impact Capital, um fundo de investimento que apresentou a proposta da IBM. A decisão da IBM foi resultado de muitas conversas diferentes, segundo ela. Ter esse acordo com uma empresa maior como a IBM, que é vista como progressista, facilita para convencer outras empresas a levar iniciativas mais a sério, disse Hull.

Os acionistas enviaram um recorde de 37 propostas relacionadas à diversidade e obtiveram uma média de 43% de apoio, segundo a Bloomberg Intelligence. Duas propostas na Union Pacific obtiveram mais de 80% de aprovação dos acionistas, enquanto uma na American Express obteve 60%. A proporção pode mudar ainda mais à medida que companhias listadas na bolsa serão votadas por acionistas nos próximos meses.

Até junho passado, os esforços corporativos em diversidade se concentravam em gênero. Agora, a pressão aumentou para que empresas diversifiquem racialmente sua força de trabalho -- de executivos a trabalhadores comuns. Os gigantes gestores de ativos BlackRock e Vanguard Group disseram no ano passado que votariam contra os diretores corporativos que deixarem de agir pela causa. Institutional Shareholder Services, empresa de consultoria de governança corporativa, disse que no próximo ano recomendará votarem contra empresas Russell 3000 ou S&P 1500 que não tiverem diretorias com diversidade.

Um primeiro sinal de mudança no sentimento ocorreu no ano passado. Uma proposta de relatório de diversidade na empresa de segurança de rede Fortinet recebeu 70% de aprovação em 19 de junho, data do feriado Juneteenth que representa a libertação de escravos no Texas em 1865.

A IBM divulgou dados de diversidade no primeiro semestre de 2020 e em outubro disse aos funcionários que, no futuro, relatará as informações anualmente, segundo comunicado. O relatório deste ano foi divulgado em abril, pouco antes da reunião anual e, portanto, não havia razão para se opor à proposta da Nia Impact, disse a IBM, acrescentando que a empresa divulgará mais detalhes em 2022.

Outra grande mudança foi o número de empresas dispostas a compartilhar publicamente dados detalhados sobre a força de trabalho por raça e gênero, que reportam anualmente à Comissão de Oportunidades Iguais de Emprego dos EUA. Essas informações são privadas, a menos que sejam divulgadas voluntariamente. Em uma enquete da Bloomberg com empresas do S&P 100 em junho de 2020, apenas 25 concordaram em divulgar o dado. Em outubro, esse número subiu para 68 empresas que estavam dispostas a divulgá-lo neste ano ou no próximo.

Fique por dentro das principais tendências das empresas ESG. Assine a EXAME.

Imagem da Editoria Exame Invest
Bloomberg


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame