Exame Invest
Mercados

IPCA-15, Petrobras Day, feriado nos EUA e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 25.11.21 | 7H09
ATUALIZAÇÃO: 25.11.21 | 7H19
Bolsas internacionais avançam nesta manhã, apesar de preocupações com pandemia na Europa e aperto monetário
plataforma, petrobras, petroleo, diesel, combustivel, energia, renovável, bolsonaro, ingerência

Plataforma de extração de petróleo da Petrobras | Foto: Germano Lüders/Exame (GERMANO LÜDERS)

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

O mercado internacional inicia esta quinta-feira, 25, em tom levemente positivo, ainda embalado por dados da economia americana divulgados na véspera. Por outro lado, a possibilidade de o Federal Reserve acelerar sua redução de estímulos e o avanço da pandemia na Europa seguem como pontos de preocupação dos investidores globais. 

Com feriado de Ação de Graças nos Estados Unidos, o dia promete ser de menor liquidez nas bolsas do mundo inteiro. Ainda que com o mercado à vista fechado nesta quinta, as negociações no mercado de futuros seguem abertas, com os principais índices de Wall Street voltando a operar em alta nesta manhã.

Na Europa, as principais bolsas da região operam no campo positivo, com o índice pan-europeu Stoxx 600 subindo 0,42% nesta manhã. Na Alemanha, onde discussões sobre um possível novo lockdown seguem em pauta, o DAX avança na mesma magnitude. 

O apetite por risco também tem reflexos no mercado de câmbio, onde o dólar opera em queda contra moedas emergentes e desenvolvidas. O movimento ocorre após um início de semana tenso, com o mercado precificando um aperto monetário mais duro após a renomeação de Jerome Powell para a presidência do Fed. Até por isso, o mercado recebeu sem grande surpresa a ata do Fed, divulgada na última tarde, considerada mais hawkish.

No documento , o Fed demonstrou maior preocupação em relação à inflação no país e que poderia acelerar o ritmo de redução de estímulos, que tem sido um dos principais temores do mercado.

IPCA-15

Nesta quinta, a inflação deve ser tema de conversas entre economistas, após a divulgação do IPCA-15 de novembro. A expectativa para o indicador que mede a alta de preços da primeira quinzena do mês é de alta de 1,1%, com a inflação anual passando de 10,34% para 10,65%.

Caso os números do IPCA saiam acima das expectativas, investidores podem precificar um aperto das políticas monetárias do Banco Central, já se antecipando a um possível ciclo de alta de juros mais intenso. Na bolsa, as curvas de juros de curto prazo, mais sensíveis aos números de inflação, poderão abrir. 

Para a próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), daqui a duas semanas, o mercado espera mais uma alta de 1,5 ponto percentual, que elevaria a Selic para 9,25%. 

Petrobras Day

Na agenda corporativa, investidores estarão atentos ao Investor Day da Petrobras (PETR3/PETR4), em que a companhia irá apresentar suas perspectivas. Na última noite, a estatal já revelou alguns números que devem ser apresentados nesta quinta.

Um dos principais é o plano estratégico da Petrobras para os próximos cinco anos, que envolve compromissos de baixo carbono e sustentabilidade ambiental e manutenção da dívida bruta abaixo de 65 bilhões de dólares.

A companhia ainda espera atingir entre 15 e 25 bilhões de dólares em desinvestimentos, “o que contribuirá para melhorar a eficiência operacional, o retorno sobre o capital e a geração de caixa necessária para manter a dívida   em patamar adequado”. 

Para a parte de investimentos, a Petrobras espera gastar 68 bilhões de dólares, sendo 84% para a exploração e produção de gás e petróleo.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame