Exame Invest
Carreira

Kroton e TIM acertam parceria para ensino à distância pelo celular

PUBLICADO EM: 7.7.21 | 19H04
ATUALIZAÇÃO: 8.7.21 | 20H02
Divisão de ensino superior da Cogna estima que acordo envolvendo sua startup Ampli poderá elevar em 20% a captação anual de alunos no EaD; TIM poderá atingir até 30% da fatia a depender de resultados
pessoa com celular na mão

O ensino 100% pelo celular é uma das apostas da Kroton com o lançamento de nova plataforma em parceria com a TIM | Foto: Flickr

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e passagens por Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos (C6 Bank) e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A Kroton, empresa de ensino superior da Cogna (COGN3), e a TIM Brasil (TIMS3) acabam de anunciar ao mercado na noite desta quarta-feira, 7 de junho, uma parceria para a criação de uma empresa que vai operar uma plataforma digital de ensino à distância (EaD), desenvolvida para funcionar em celulares.

O novo negócio será materializado por meio da startup Ampli, fundada pela Kroton em 2019 e que vai oferecer mais de 400 cursos livres e mais de 250 cursos de graduação e pós-graduação, em modalidade de ensino 100% digital.

Na largada, o público potencial é a base de 50 milhões de usuários da TIM Brasil em mais de 4.200 cidades do país. A edtech já nasce como líder no segmento voltado ao ensino pelo celular, considerando os mais de 15.000 alunos já matriculados na Ampli, segundo comunicado.

Uma das diferenças do desenvolvimento voltado para o mobile first é que a plataforma é preparada para consumir menos dados e menos memória do aparelho celular do potencial aluno. A plataforma foi desenvolvida pela Kroton, enquanto a TIM entrou como parceira de distribuição, sem participação no equity da Ampli.

Mas, dentro do acordo acertado com a Kroton, a TIM poderá adquirir e elevar a sua participação como acionista minoritária na Ampli até um limite de 30%, a depender do cumprimento de metas de resultados.

Para a Cogna, a parceria representa mais um passo em sua estratégia de digitalização do ensino, em processo há alguns anos, mas que ganhou tração com a pandemia. A estimativa é que a parceria poderá elevar em 20% a sua captação anual de alunos no segmento EaD, que foi de 400 mil estudantes em 2020. Ou seja, o salto pode chegar a 80 mil alunos ao ano.

“Com essa parceria damos um importante passo na consolidação do nosso propósito, dando acesso à educação de qualidade, por meio da alta penetração de celulares na população brasileira, independentemente da localização e com custo acessível”, disse Roberto Valério, CEO da Kroton.

Para a TIM, a parceria se encaixa na sua estratégia de transformação digital, por meio de acordos de geração de valor para sua plataforma de clientes e de novas receitas para a companhia. Um dos acordos foi acertado com o C6 Bank há pouco mais de um ano, para a venda de produtos financeiros do banco digital para clientes da operadora.

O cumprimento de metas de aquisição de clientes no último ano permitiu que a TIM Brasil ganhasse o direito a se tornar um acionista minoritário do C6, que acaba de vender 40% do capital para o JPMorgan Chase.

“Educação é um dos nossos pilares estruturados nas políticas ESG. Nosso principal objetivo é ajudar na democratização do ensino superior no Brasil via tecnologia”, afirmou Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil.

Nesta quarta-feira, as ações da Cogna ficaram estáveis, enquanto as da TIM Brasil subiram 3,84%.

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e passagens por Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos (C6 Bank) e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame