Minhas Finanças

Leilão de carros do Detran tem Citroën a partir de R$ 13 mil

PUBLICADO EM: 22.2.21 | 17H12
São dois dias de leilões. No primeiro, serão ofertados 77 lotes, todos com direito à documentação

Leilões: serão dois dias de evento. O edital está no site da leiloeira responsável

Karla Mamona

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A leiloeira Sato Leilões irá realizar nos dias 1 e 2 de março leilão de veículos do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP) Entre os destaques do primeiro dia, está o lote 136, um modelo CITROEN C3 120A EXCLUSIV 2014/2014, da cor vermelha, com lances a partir de 13.100 mil. Para quem quer encontrar uma moto, o destaque está no lote 66, a JTA SUZUKI GS 500E 2000/2001, de cor preta, com lance inicial de 3.900 reais. 

Há ainda também um FIAT STRADA FIRE FLEX 2008/2009, da cor prata, com lance inicial de 11 mil reais no lote 119. O veículo é essencial para o transporte de cargas e pode ajudar novos empreendedores.

“No leilão de veículos que realizaremos no dia 1, serão ofertados 77 lotes, todos com direito à documentação. Neste evento, costumamos ter grandes oportunidades para pessoas físicas e jurídicas. O consumidor que ficar atento aos valores para realizar um bom negócio”, explica Antonio Hissao Sato Junior, leiloeiro público oficial e presidente da Sato Leilões.

No segundo dia de evento, dia 2 de março, serão leiloados os lotes com sucatas, ou seja, veículos em fim de vida útil, que já não podem mais voltar a circular pelas ruas. Para dar lances em sucatas, comente com cadastro no Detran como Empresa de Desmonte. Ao todo, são 45 itens, ofertados com lances a partir de 180 reais. É possível também arrematar carros documentados, com lances a partir de 700 reais.

Os interessados em participar do leilão podem conferir fotos, vídeos e detalhes de cada bem, por meio do edital do evento, disponível no site da leiloeira. Também haverá visitação para as pessoas interessadas. É importante ressaltar que, entre os veículos documentados, a regularização do item é de responsabilidade do arrematante, que deve garantir que o produto atenda às exigências do Código Brasileiro de Trânsito antes de voltar a circular.


Recomendado para você


Leia também

Karla Mamona

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais