Exame Invest
Mercados

Lucro da Tesla sobe mais de 2.600%. Por que o mercado esnobou?

PUBLICADO EM: 27.4.21 | 16H48
ATUALIZAÇÃO: 27.4.21 | 17H28
Ganho da montadora foi de US$ 438 milhões, alta de 2.638%, no primeiro trimestre, com vendas maiores e bitcoins. Mas investidores esperam mais
Concessionaria da Tesla

Imagem da Editoria Exame Invest
Agência O Globo



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

A Tesla teve um lucro recorde no primeiro trimestre de 2021, contornou a escassez da indústria de chips, aumentou sua produção e ainda vez dinheiro com bitcoins. O lucro no período de 438 milhões de dólares representou uma alta de 2.638% em relação aos primeiros três meses de 2020. Ainda assim, o mercado deu de ombros.

As ações da montadora de carros elétricos caíram cerca de 3,1% nas negociações que acontecem após o fechamento dos mercados e do anúncio do balanço, num sinal de que as expectativas dos analistas estão cada vez mais altas após o valor das ações da empresa ter se multiplicado por 8 ao longo do ano passado.

  • Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam seu bolso

Entre as principais queixas dos analistas está a de que a empresa não apresentou uma estimativa específica de entrega de veículos em 2021, mesmo depois de ter elevado significativamente suas vendas neste início de ano. As vendas da Tesla no primeiro trimestre cresceram 74%, alcançando 10,4 bilhões de dólares de janeiro a março.

O fundador e CEO da empresa, Elon Musk, está se esforçando para acelerar a produção e manter o domínio da Tesla no mercado de veículos elétricos, mas os concorrentes estão se movendo agressivamente.

Musk disse na segunda-feira que a demanda é maior do que nunca, mas sem números para apresentar, os investidores deram uma boa esnobada.

"Está tudo muito bom, mas não há novidades nem foi um desastre [o balanço]", disse Gene Munster, analista da Loup Ventures. "Aconteceu tudo do jeito que todos achavam que aconteceria."

Impacto do bitcoin

A empresa puxou uma nova alavanca para apresentar lucros aos investidores no primeiro trimestre: bitcoins. O investimento na criptomoeda alardeado por Musk — o que ajudou a valorizá-la — gerou 101 milhões de dólares em receita para a Tesla, após a venda de cerca de 10% de sua carteira.

Juntamente com créditos regulatórios e benefícios fiscais, os lucros com bitcoin contribuíram com cerca de 0,25 dos 0,93 centavos por ação de lucro ajustado da Tesla, acima da estimativa de 0,80 da média da estimativa dos agentes de Wall Street. Foi o que apontou o analista do Credit Suisse Dan Levy em relatório.

O diretor financeiro da Tesla, Zachary Kirkhorn, afirmou que a companhia valoriza o bitcoin como uma forma de fazer caixa preservando liquidez, particularmente num momento em que investimentos tradicionais têm rendimentos tão baixos.

"Acreditamos no valor do bitcoin no longo prazo. É nossa intenção manter o que temos de investimentos de longo prazo e continuar a acumular bitcoins a partir de transações dos nossos clientes, comprando seus carros."

O bitcoin valorizou cerca de 1,9% e foi comercializado acima de 54.000 dólares depois de a Tesla reafirmar seu compromisso com a criptomoeda, inclusive como forma de patamento por seus carros elétricos.

Acidente no Texas minimizado

A Tesla descartou maiores preocupações em relação à segurança de seus veículos por causa do acidente de um de seus modelos no Texas neste mês, dizendo acreditar que alguém estava no volante.

A montadora afirmou que não foi capaz de recuperar todos os dados do veículo, que a polícia chegou a suspeitar não estar sendo dirigido por ninguém no momento do acidente, estimulando a especulação de que o Autopilot, o assistente de direção da Tesla, possa ter sido um fator em favor do acidente, que matou duas pessoas.

A companhia está trabalhando com as autoridades na investigação, informou.

Imagem da Editoria Exame Invest
Agência O Globo


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame