Mercado Pago faz acordo com Visa para estimular hábitos digitais | Exame Invest
Exame Invest
Minhas Finanças

Mercado Pago faz acordo com Visa para estimular hábitos digitais

PUBLICADO EM: 11.3.21 | 19H48
ATUALIZAÇÃO: 11.3.21 | 19H54
De olho em novos comportamentos do consumidor, fintech associada ao Mercado Livre aposta em cartão para ampliar recorrência de compras

Mercado Pago quer estimular pagamentos sem contato por meio do aplicativo, dispensando o cartão

Foto de Bianca Alvarenga da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Bianca Alvarenga

Repórter especializada em finanças pessoais e investimentos, passou pelas redações de Veja, Folha de S. Paulo e 6 Minutos.



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

Nos últimos meses, o isolamento social empurrou milhões de consumidores brasileiros para as compras no ambiente digital. As empresas de meios de pagamentos se viram em uma corrida para ajustar seus produtos à revolução em curso, para surfar a importante mudança de hábitos de consumo.

Uma dessas empresas é o Mercado Pago, carteira digital e braço de pagamentos que pertence ao Mercado Livre. Nos últimos meses, a empresa trabalhou em serviços novos para os 20 milhões de usuários da plataforma. A mais nova solução e aposta é um cartão de crédito co-branded, em parceria com a Visa.

"Já oferecemos um cartão de débito para 4 milhões de clientes. Esse mesmo cartão poderá ser usado na função crédito -- tanto o cartão virtual quanto a versão em plástico", conta Tulio Oliveira, vice-presidente do Mercado Pago no Brasil.

Embora o cartão de crédito permita compra em qualquer estabelecimento, a expectativa é que o novo produto reforce as vendas digitais, principalmente as feitas na plataforma do Mercado Livre. Para compras feitas no marketplace, as opções de parcelamento serão de até 18 vezes sem juros.

De acordo com dados de co-branding da Visa, a inclusão do usuário do cartão de débito na modalidade de crédito pode aumentar o gasto mensal em até 22%.

Além da recorrência de uso, o Mercado Pago pretende rentabilizar o produto com uma cobrança de tarifas. O cartão terá uma cobrança mensal de 14,90 reais, mas será isento de anuidade para quem gastar mais de 50 reais por mês. Embora a maioria das fintechs e dos bancos digitais ofereça opções de cartões sem custos, o Mercado Pago acredita que essa não será uma barreira.

Pagamento NFC

A pandemia mudou também até mesmo o velho hábito de passar o cartão na maquininha. De acordo com dados da Visa, as vendas contactless (por aproximação) cresceram 5 vezes entre dezembro de 2019 e dezembro do ano passado.

"O pagamento por aproximação virou uma questão de saúde pública. Fizemos uma pesquisa com os clientes e 48% já disseram usar formas de pagamento contactless. Dois anos atrás, esse número era incipiente", diz Fernando Pantaleão, vice-presidente de vendas da Visa no Brasil. Ele conta também que 20% dos consumidores Visa já utilizam algum tipo de carteira digital.

Para surfar essa mudança de hábito, o Mercado Livre vai permitir o pagamento NFC pelo próprio aplicativo. O usuário que dispor do novo cartão e que tiver um smartphone habilitado para a tecnologia NFC poderá fazer o pagamento por aproximação direto do celular.

Oliveira, do Mercado Pago, ressalta que cliente poderá fazer isso diretamente pela plataforma da empresa, sem precisar fazer nenhum cadastro em outra carteira digital, como Apple Pay, Google Pay ou Samsung Pay.


Recomendado para você


Leia também

Foto de Bianca Alvarenga da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Bianca Alvarenga

Repórter especializada em finanças pessoais e investimentos, passou pelas redações de Veja, Folha de S. Paulo e 6 Minutos.


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame