Exame Invest
Mercados

No radar: sanção do Orçamento, BCE e o que mais move o mercado

PUBLICADO EM: 22.4.21 | 6H50
ATUALIZAÇÃO: 22.4.21 | 7H23
Com foco em temporada de balanços e discurso de Lagarde, bolsas da Europa abrem em alta

Resumo do investidor

Quadro da manhã: - Índice europeu Stoxx 50 avança 0,85%; no continente, IBEX 35 (Espanha) é destaque com alta de 1,01% - Futuros americanos registram leves perdas: S&P 500 cai 0,10%, Nasdaq, 0,08% e Dow Jones, 0,04%

Jair Bolsonaro e Paulo Guedes

Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Economia, Paulo Guedes

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

As principais bolsas da Europa avançam na manhã desta quinta-feira, 22, com investidores à espera da decisão monetária do Banco Central Europeu (BCE) e atentos aos últimos resultados da temporada de balanços do primeiro trimestre. Nos Estados Unidos, onde as bolsas voltaram a subir na véspera após um início de semana de cautela, os índices futuros oscilam próximos da estabilidade.

BCE

No mercado, a ampla expectativa é de manutenção da taxa de depósito em 0,5% negativo e sinalizações de continuidade do programa de recompra de títulos por parte da presidente do BCE, Christine Lagarde. A decisão está prevista para sair pouco antes de abrir o mercado de futuros no Brasil, às 8h45. 

Orçamento

Já entre os investidores locais, as atenções estarão voltadas para Brasília, onde se espera que o presidente Jair Bolsonaro sancione o Orçamento de 2021 nesta quinta. Na véspera, Bolsonaro sancionou a lei que retira gastos com programas emergenciais da meta fiscal - que até então vinha sendo um impasse para aprovação do Orçamento.

Volta de feriado

Além do cenário externo favorável e (possível) fim das incertezas sobre o Orçamento, o Ibovespa deve absorver parte da alta registrada nas bolsas internacionais na quarta-feira, 21, quanto o mercado local esteve fechado em função do feriado de Tiradentes. Ontem, os principais índices americanos registraram alta de cerca de 1%, enquanto o ETF EWZ (que representa o mercado brasileiro em Nova York) avançou 0,23%.

GPS e Hospital Care precificam IPO

Estão previstas para esta quinta a precificação das ofertas públicas iniciais (IPOs, na sigla em inglês) do Grupo GPS e do Hospital Care

Do setor de segurança, o GPS havia estabelecido a faixa indicativa de 13 reais a 15,50 reais por ação. No entanto, de acordo com reportagem da Exame In, o grupo estaria disposto a aceitar o preço de 11,50 reais por ação, diminuindo o valor da empresa em 2 bilhões de reais em relação à avaliação anterior para 7,5 bilhões de reais. A expectativa é de que a empresa levante 1,9 bilhão de reais.

Em uma oferta menor, o Hospital Care havia definido a faixa indicativa entre 22,50 reais e 28,50 reais. Caso saia no centro da faixa, a 25,50 reais por ação, o IPO deve movimentar 790,5 milhões de reais. 

Agenda econômica

Sem grandes divulgações macroeconômicas no Brasil, o principal dado do dia ficará a cargo dos pedidos semanais de seguro desemprego dos Estados Unidos. De acordo com a mediana das estimativas, devem ser registrados 617.000 pedidos, pouco mais que os 576.000 da última semana - o menor número desde março do ano passado, que marcou o início dos impactos da pandemia na economia americana.

Foto de Guilherme Guilherme da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Guilherme Guilherme

Repórter de mercado | guilherme.guilherme@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame