Exame Invest
Minhas Finanças

Nubank se torna sócio da Creditas e turbina capacidade de crédito

PUBLICADO EM: 13.9.21 | 9H48
ATUALIZAÇÃO: 13.9.21 | 10H09
Banco digital distribuirá produtos de crédito da fintech e poderá assumir até 7,7% das ações em um período de dois anos
O logotipo da Nubank, uma startup brasileira da FinTech, está retratado na sede do banco em São Paulo, Brasil, em 19 de junho de 2018. Foto tirada em 19 de junho de 2018. REUTERS / Paulo Whitaker

Nubank continua a acelerar o 'cardápio' de produtos financeiros para a sua base de clientes | Foto: Paulo Whitaker/Reuters (REUTERS)

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e passagens por Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos (C6 Bank) e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

O Nubank acaba de anunciar ao mercado na manhã desta segunda-feira, 13 de setembro, uma parceria com a Creditas, uma das maiores fintechs de crédito do país.

O acordo prevê que o Nubank distribuirá produtos de crédito da Creditas para a sua base de mais de 40 milhões de clientes na América Latina.

O negócio representa novo passo na estratégia do banco digital de ampliar o número de produtos e serviços financeiros para a sua base, rentabilizando e fidelizando esse cliente. Outro passo relevante foi dado há um ano com a aquisição da Easynvest, que permitiu a oferta de fundos e outros produtos de investimento.

Com a Creditas como parceira, o banco digital ganha capacidade de análise e de concessão de crédito, um dos negócios que mais rentabilizam no setor financeiro, mas que envolve desafios que podem levar a prejuízos bilionários se não bem estruturados.

A fintech fundada pelo espanhol Sergio Furio em 2012 é especializada em crédito com garantia, em que o ativo do usuário serve como lastro -- pode ser desde um imóvel até um carro ou um iPhone -- e possibilita a cobrança de juros mais baixos do que em outras modalidades.

O Nubank, que está em processo para realizar um IPO (oferta pública inicial, na sigla em inglês) possivelmente na Nasdaq, em Nova York, poderá assumir até 7,7% do capital da Creditas em um período de dois anos.

O banco foi avaliado em 30 bilhões de dólares no início de junho, por ocasião de duas extensões da rodada Series G, que totalizou 1,15 bilhão de dólares e trouxe para a sua base de acionistas o megainvestidor Warren Buffett.

"Acreditamos muito no potencial da Creditas. Sabemos o impacto positivo que o acesso a crédito tem na vida das pessoas. Ao trabalhar com a Creditas, podemos estender esse alcance ainda mais", afirmou David Vélez, CEO do Nubank.

"A Creditas tem transformado o setor de empréstimo com garantias e beneficiado milhares de clientes na América Latina", completou Vélez, um dos sócios-fundadores do Nubank.

Para a Creditas, por sua vez, o acordo vai acelerar a distribuição de seus produtos, além de garantir funding adicional para as operações de crédito.

“Estamos muito entusiasmados com a parceria com o Nubank, uma empresa que temos seguido de perto ao longo dos anos e que admiramos por sua abordagem técnica e humana aos serviços financeiros", disse Sergio Furio, fundador e CEO da Creditas.

"Agora precisamos trabalhar muito para oferecer uma experiência incrível aos clientes do Nubank, seja para fornecer empréstimos, trocar de carro ou reformar sua casa. As oportunidades são ilimitadas para o consumidor que busca uma oferta digital completa e moderna”, afirmou o empreendedor espanhol.

A Creditas, por sua vez, tem acelerado o número de operações de M&A (fusões & aquisições) desde a sua última rodada de captação, em dezembro de 2020, que levou o valuation para 1,75 bilhão de dólares.

Em julho, a fintech de crédito havia anunciado duas aquisições, da Minuto Seguros, para entrar nesse segmento; e da plataforma digital de compra e venda de carros usados Volanty.

As informações sobre a parceria do Nubank com a Creditas foram antecipadas pelo site Neofeed.

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e passagens por Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos (C6 Bank) e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame