Casual

O luxo na pandemia: JHSF dobra o lucro na crise e acelera expansão

PUBLICADO EM: 18.2.21 | 18H45
ATUALIZAÇÃO: 18.2.21 | 21H35
Resultado foi conquistado em ano de isolamento social que teve forte impacto sobre o setor de shoppings, mas não para a empresa voltada para a alta renda

Shopping Cidade Jardim, em São Paulo: empreendimento voltado para o público de alta renda sofreu menos com a crise da pandemia

Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A JHSF, empresa dona do shopping Cidade Jardim, da Fazenda Boa Vista e de outros empreendimentos voltados para a alta renda, registrou um lucro de 638,9 milhões de reais em 2020, 98,6% maior em comparação com o ano anterior, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira, 18.

O resultado amplamente positivo destoa da queda nas receitas e nos lucros das demais empresas que administram shoppings centers, em ano marcado pelas medidas de isolamento social. O crescimento da JHSF aconteceu, principalmente, pelo evolução das vendas de negócios imobiliários, que saltaram 228,4% no último ano -- um novo recorde. A empresa acelerou a expansão de seus negócios e se beneficiou dessa estratégia.

As ações da JHSF (JHSF3) encerraram esta quinta-feira em alta de 3,78%. No ano, no entanto, a queda acumulada é de 4,99%. O balanço foi divulgado após o fechamento do mercado. A teleconferência com analistas está marcada para às 15h desta sexta-feira.

Em 2020, a empresa abriu dois shoppings: o BV Market, na Fazenda Boa Vista, e o CJ Shops Jardins, no terreno que ocupa parte do antigo restaurante Fasano, no coração dos Jardins, além de três restaurantes. Foi lançado ainda o Selezione Fasano, uma espécie de empório do Fasano dentro do CJ Shops Jardins; houve a expansão de capacidade do aeroporto São Paulo Catarina, próximo à rodovia Castello Branco, e a abertura de novas operações no varejo.

A proposta da companhia é atender o cliente de alta renda em várias frentes e, com esse objetivo, ela tem quatro divisões de negócio: shoppings, hotéis e restaurantes, incorporação e aeroporto. Para se aproximar do cliente, a empresa lançou no ano passado a J Coin, uma moeda virtual que pode ser usada em todos os produtos da JHSF. 

Ainda de acordo com o balanço, as receitas brutas cresceram 78,5% em 2020, saltando para 1,25 bilhão de reais, enquanto a geração de caixa operacional medida pelo Ebitda aumentou 33,5%, para 837,5 milhões de reais.


Recomendado para você


Leia também

Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais