Exame Invest
Mercados

O que o day trade e as ações da GameStop revelam sobre possível bolha

PUBLICADO EM: 25.1.21 | 18H12
ATUALIZAÇÃO: 25.1.21 | 21H21
O que uma rede de lojas físicas de games pode oferecer de retorno para o investidor em um dos segmentos mais digitalizados da economia? No atual momento de euforia do mercado, oferece a chance de ganhos em cima de especulação. É o que tem acontecido neste início de ano com as ações da GameStop, em […]
game-stop-lojas-eua-games

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

O que uma rede de lojas físicas de games pode oferecer de retorno para o investidor em um dos segmentos mais digitalizados da economia? No atual momento de euforia do mercado, oferece a chance de ganhos em cima de especulação. É o que tem acontecido neste início de ano com as ações da GameStop, em uma batalha que tem mobilizado o mercado americano e que diz muito sobre uma euforia em certa medida descolada de fundamentos.

Quer se precaver contra uma possível virada do mercado? Conte com a assessoria do BTG Pactual digital

As ações da GameStop chegaram a disparar quase 145% nesta segunda-feira, 25, atingindo novo recorde, depois de já terem disparado cerca de 250% desde o começo do ano. No fechamento, as ações desaceleraram fortemente os ganhos e subiam "apenas" 18%, negociadas a 76,79 dólares. Na máxima do dia, porém, chegaram a 159,18 dólares, reforçando os argumentos de quem aponta que há uma bolha em muitos ativos no mercado -- ou seja, com preços descolados dos fundamentos.

A batalha envolve investidores que apostam na queda das ações -- os "short sellers" -- e outros que aderiram em massa a campanhas virtuais em redes sociais como o Reddit para a compra do papel, incluindo day traders. São movidos não pela expectativa de retorno em cima dos fundamentos da companhia, mas para se beneficiar da valorização, ao mesmo tempo em que demonstram a sua força coletiva e impõem perdas a quem estava vendido.

Diante da forte alta, os vendedores a descoberto -- ou seja, investidores que compraram opções de venda sem deter o papel -- estão rapidamente comprando de volta as ações para cobrir perdas potenciais. É um movimento conhecido como "short squeeze".

As perdas de investidores que estavam "short" na GameStop chegavam a 3,3 bilhões de dólares neste ano antes dos dados desta segunda-feira, de acordo com a S3 Partners. Apenas na sexta passada, o prejuízo foi de 1,6 bilhão de dólares.

A aposta de investidores contra a GameStop tem como base a avaliação de que o seu modelo de negócios de varejo concentrada em lojas físicas enfrenta muitos desafios e é pouco competitivo diante de gigantes digitais como a Amazon e a venda online de empresas como a Sony (fabricante do PlayStation).

No terceiro trimestre fiscal de 2020, a GameStop divulgou queda de 30% nas vendas líquidas (e de 25% na mesma base de lojas) na comparação com o mesmo período de 2019. As vendas digitais subiram 257%, mas representam ainda apenas 25% de tudo o que é comercializado pela companhia. Ainda assim, as ações sobem mais de 300% em 2021.

As posições vendidas no mercado eram bastante evidentes na sexta-feira, 22: elas somavam cerca de 72 milhões de ações da GameStop, o equivalente a 140% dos papéis em circulação no mercado, segundo dados da S3 Partners.

Os vendedores a descoberto normalmente alugam os papéis e acertam a venda futura acreditando que o preço irá cair, com a expectativa de recomprá-las a um preço mais baixo e embolsar a diferença.

Mas as ações da GameStop começaram a subir a partir do anúncio da rede varejista de videogames no dia 11 de janeiro sobre as nomeações para seu conselho de administração com o objetivo de preparar a empresa para reforçar as vendas digitais.

Uma das empresas que mais assumiram posição de venda foi a Citron Research, que disse que a ação estaria "de volta aos 20 dólares rapidamente".

"A quantidade de pessoas tão apaixonadas em fazer a GameStop se valorizar com base em nenhum fundamento só mostra o atual estado natural do mercado", disse em vídeo Andrew Left, sócio-diretor da Citron Research.

"O aumento repentino e acentuado no preço e na valorização das ações da GameStop provavelmente foi alimentado por um short squeeze", disse Joseph Feldman, analista-chefe do Telsey Advisory Group em nota a clientes nesta segunda.

A casa de análises rebaixou as ações para "underperform" (performance abaixo da média), em vez de "outperform" (acima da média), citando uma desconexão entre os fundamentos e o preço.

Outro sinal da especulação atípica é o volume de opções de GameStop, que atingiram um volume recorde de 2,13 milhões de contratos na sexta-feira. Nesta segunda, cerca de 355.000 contratos de opções GameStop foram negociados, cerca de quatro vezes o volume esperado, de acordo com a Trade Alert.

Dada a forte alta das ações da GameStop, as expectativas de volatilidade também aumentaram. Com base nos dados do Trade Alert, as opções agora precificam uma variação média de cerca de 23% nos próximos 30 dias.

Entre os oito analistas que cobrem as ações, quatro recomendam ao investidor "manter o papel", e os demais recomendam "vender". O preço-alvo médio é de 12,50 dólares, de acordo com a Refinitiv. Ou seja, implica uma desvalorização acima de 80% para a cotação atual.

Um e-mail enviado para GameStop não foi respondido imediatamente à Reuters.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame