Minhas Finanças

PIX vai permitir devolução de dinheiro enviado

PUBLICADO EM: 8.6.21 | 14H59
ATUALIZAÇÃO: 8.6.21 | 15H06
Nova funcionalidade começará no dia 16 de novembro. Objetivo é coibir fraudes e falhas operacionais
Pix

A devolução poderá ser iniciada pelo usuário recebedor, por iniciativa própria ou por solicitação do usuário pagador (SOPA Images/LightRocket via Gett)

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

O Banco Central aprovou a criação de um mecanismo especial de devolução do Pix, que entra em operação em 16 de novembro, quando o pagamento instantâneo brasileiro completa um ano. A norma está incluída na Resolução BCB n° 103.

A criação do mecanismo padroniza as regras e os procedimentos para viabilizar a devolução de valores nos casos em que exista fundada suspeita de fraude ou nas situações em que se verifique falha operacional nos sistemas das instituições envolvidas na transação.

Ganha pouco, mas gostaria de começar a guardar dinheiro e investir? Aprenda com a EXAME Academy

A devolução poderá ser iniciada pelo usuário recebedor, por iniciativa própria ou por solicitação do usuário pagador.

Desde o lançamento do Pix, está disponível funcionalidade de devolução que permite que o usuário recebedor devolva, total ou parcialmente, os valores de uma transação. Entretanto, não havia previsão de que a devolução fosse iniciada pela instituição de relacionamento do usuário recebedor.

Dessa forma, atualmente, em uma eventual fraude ou falha operacional, as instituições envolvidas precisam estabelecer procedimentos operacionais bilaterais, de forma a efetuar as comunicações relacionadas a solicitações e recebimentos de pedidos de devoluções, dificultando o processo e aumentando o tempo necessário para que o caso seja analisado e finalizado, reduzindo a eficácia das devoluções.

O estabelecimento do mecanismo especial de devolução dará mais celeridade e eficiência ao processo de devolução, aumentando a possibilidade dos usuários reaverem os valores nos casos de fraude.

A instituição que efetuar uma devolução utilizando o mecanismo especial precisará notificar o usuário quando realizar o débito na conta. Além disso, a transação constará do extrato das movimentações.

Imagem da Editoria Exame Invest
Marília Almeida

Repórter de Invest marilia.almeida@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame