Por que a Hering disparou 26% enquanto o Soma caiu 10% com a fusão? | Exame Invest
Exame Invest
MERCADOS

Por que a Hering disparou 26% enquanto o Soma caiu 10% com a fusão?

PUBLICADO EM: 26.4.21 | 18H10
ATUALIZAÇÃO: 26.4.21 | 20H42
Para mercado, a operação traz leitura mista: a varejista de moda básica pode acelerar seu processo de reestruturação, mas preço pode ter sido salgado demais para o Soma

Resumo do investidor

1. O setor de varejo de moda atravessa um momento de efervescência, com muitas fusões e aquisições 2. O negócio anunciado de fusão do Grupo Soma com a Hering causou reações distintas nas ações 3. Para a Hering, negócio pode acelerar reestruturação; para o Soma, há desafios operacionais relevantes

Franquia Hering Store

Loja da Hering em shopping: empresa está prestes a se unir ao Grupo Soma para criar uma gigante da moda

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Os acionistas da Hering (HGTX3) comemoraram o acordo com o Grupo Soma (SOMA3), dono de marcas como Animale, Farm e Maria Filó, para integração das operações, com uma alta de 26,19% nesta segunda-feira, 26, a maior valorização do Ibovespa. Na ponta oposta, fora do índice, os papéis do Soma, que até chegaram a subir 5% pela manhã, afundaram 10,14%, perto da mínima do dia.

Saiba onde estão as melhores oportunidades da bolsa com o time de analistas da EXAME Invest Pro

Na visão de analistas do mercado, a fusão é positiva para a Hering, uma vez que a companhia pode acelerar seu processo de turnaround (reestruturação). De outro lado, pesa contra o Soma os desafios de execução da operação, tendo em vista que a varejista reconhecida por sua moda básica já vinha passando por problemas operacionais mesmo antes da pandemia.

Além disso, o preço oferecido no negócio foi considerado salgado. O Grupo Soma pagará 9,63 reais à vista e 1,625107 ação ON para cada ação da Hering – valor que avalia a empresa em cerca de 5 bilhões de reais. O montante é bem superior aos 3,7 bilhões de reais oferecidos pela Arezzo (ARZZ3) na semana passada.

"Foi um valor expressivo, bem superior aos 2,7 bilhões de reais que a Hering negociava em Bolsa antes da proposta da Arezzo. Vemos que muito valor pode ser gerado com essa aquisição , mas é um case de reestruturação", disse Henrique Esteter, analista da Guide Investimentos.

Segundo ele, apesar de a transação abrir caminho para novos entrantes na base de clientes do Soma, que até então se limitava à atuação no mercado premium, o valor foi alto.

"O Soma aceitou pagar caro por um ativo que vai ter que reestruturar e digitalizar. Agora, cabe a eles demostrar que esse preço não foi muito elevado, tendo em vista as potenciais sinergias que podem ser geradas com essa operação."

Em teleconferência com analistas nesta tarde, o diretor financeiro do Soma, Gabriel Lobo, disse que o valuation e o preço pagos na transação são "super adequados" e que espera um lucro líquido potencial adicional via sinergias de cerca de 200 milhões de reais anuais a ser capturado em um horizonte de dois a três anos.

A fusão ainda precisa ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). De acordo com Lobo, isso pode ocorrer até o dia 30 de junho. O executivo comentou também que a empresa não enxerga preocupações em termos regulatórios, tendo em vista que o setor tem uma grande pulverização.

Na máxima do dia, as ações da Hering saltaram 37%, indo para 30,93 reais, no maior patamar desde 20 de janeiro de 2020. O volume financeiro movimentado com os papéis atingiu nesta sessão 925,3 milhões de reais, bem superior à média móvel diária de 151,9 milhões de reais dos últimos 21 pregões.

Já os papéis do Soma chegaram a cair 12% no pior momento do dia, cotados em 12,42 reais. O giro financeiro foi de 199,8 milhões de reais, contra média diária de 29,6 milhões de reais.

"Para a Hering, conseguir um valor maior do que a Arezzo já havia colocado na mesa foi muito positivo, mas, para o Soma, a leitura é a de que pagou muito caro, fazendo os papéis apagarem a empolgação inicial e virarem para queda", comentou Marcio Lorega, analista técnico da Ativa Investimentos.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME


Recomendado para você


Leia também

Foto de Paula Barra da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Paula Barra

Repórter de mercados da Exame. Formada em jornalismo pelo Mackenzie e pós-graduada em Produtos Financeiros e Gestão de Risco pela FIA. Especializada na cobertura do mercado financeiro, com passagens pelo InfoMoney, Empiricus e TradersClub | paula.barra@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame