Exame Invest
Minhas Finanças

Quanto investir para ganhar o equivalente ao prêmio de medalha de ouro?

PUBLICADO EM: 27.8.21 | 13H33
ATUALIZAÇÃO: 30.8.21 | 13H05
Disciplina e planejamento são valores compartilhados entre atletas que querem se destacar em competições olímpicas e investidores que desejam cumprir uma meta financeira de médio ou longo prazo
Darlan Romani, do arremesso de peso, dia 18/08/2016

Darlan Romani, atleta de arremesso de peso, levantou 300 mil reais em uma vaquinha online

Foto de Bianca Alvarenga da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Bianca Alvarenga

Repórter especializada em finanças pessoais e investimentos, passou pelas redações de Veja, Folha de S. Paulo e 6 Minutos.



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 3MIN

Darlan Romani, atleta brasileiro de arremesso de peso, não ganhou uma medalha durante a Olimpíada de Tóquio, mas ficou conhecido país afora mesmo assim. Classificado em quarto lugar na sua modalidade, Darlan foi exemplo de perseverança – o competidor cumpriu boa parte dos treinos em um terreno baldio, ao lado de sua casa, e sem o apoio de um treinador.

O caso gerou comoção, e na semana passada o atleta conseguiu levantar 300.000 reais em uma vaquinha organizada pela internet. O valor é superior aos 250.000 reais distribuídos a atletas que ganharam a tão desejada medalha de ouro, na competição olímpica.

Darlan e todos os atletas olímpicos e paralímpicos são prova de que ganhar uma bolada assim (e uma medalha) requer muita disciplina e esforço. Esses dois princípios são de grande utilidade também para os brasileiros que desejam investir para cumprir um objetivo: carro, viagem, estudos, casa própria ou qualquer outro sonho que exija dinheiro para ser alcançado.

"O paralelo entre um investidor e um atleta é a determinação. Mesmo com muito planejamento, no caso do investidor, e treino, no caso do atleta, alcançar um sonho grande é sempre desafiador", diz Marcia Dessen, planejadora financeira pela Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar).

Para ilustrar esse paralelo, Marcia calculou quanto seria necessário poupar em quatro anos (tempo entre uma Olimpíada e outra) para reunir 250.000 reais (mesmo valor distribuído a atletas que ganham a medalha de ouro). O desafio, assim como o de ser medalhista, é grande e requer atitudes diárias para que a meta seja atingida.

Esforço olímpico

Partir do zero e chegar a 250.000 reais em quatro anos requer uma enorme dedicação. A conta básica é a seguinte: mesmo colocando o dinheiro mês a mês em uma aplicação que pague 9% ao ano – uma rentabilidade considerada boa para o período – o investidor deverá poupar quase 4.400 reais mensalmente.

O cálculo é simples, pois não considera nem a inflação e nem o imposto de renda do hipotético vencimento, mas dá uma dimensão de como é difícil chegar a esse valor em um período relativamente curto, de 48 meses.

"É difícil, assim como não é fácil se preparar para ganhar uma medalha de ouro já na primeira Olimpíada. Para muitos brasileiros, poupar 4.000 reais por mês é fora da realidade, então restam duas opções: ou o sonho tem de ser menor, ou o prazo tem de ser maior. Vale lembrar que muitos atletas só conseguem subir ao pódio depois de competir mais de uma vez", conta Marcia, da Planejar.

Tomando como base essa premissa comum do esporte – a de ganhar uma medalha somente na segunda ou terceira competição olímpica – a planejadora simulou quanto seria necessário investir para chegar aos sonhados 250.000 reais em oito anos (tempo de dois Jogos Olímpicos) ou 12 anos (período equivalente ao de três competições).

Em 96 meses, e contando com uma aplicação que renda 9% ao ano, o valor a ser poupado é de 1.815 reais. Já em 144 meses (12 anos), o esforço mensal será de 994 reais, de acordo com o cálculo da planejadora financeira.

Embora pareça um prazo muito longo, a disciplina mensal é válida para alcançar sonhos maiores, como a compra de uma casa, ou até a preparação para a aposentadoria.

Como poupar mês a mês?

Ainda que o prazo seja longo, o valor a ser poupado todos os meses não é irrelevante – poucas pessoas têm 1.000 reais "sobrando" no final de todo mês.

Marcia diz, no entanto, que assim como atletas abrem mão de uma série de coisas, em nome da carreira no esporte, os investidores devem fazer escolhas para alcançar suas metas financeiras.

"Tem gente que gasta no carro o dinheiro que falta para morar melhor, para fazer uma pós-graduação ou para ter mais lazer. É uma questão de escolha: o que é mais importante para você?", questiona a planejadora financeira.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso

Foto de Bianca Alvarenga da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Bianca Alvarenga

Repórter especializada em finanças pessoais e investimentos, passou pelas redações de Veja, Folha de S. Paulo e 6 Minutos.


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame