ESG

Quer lucrar com o boom do carro elétrico? Veja este ETF que disparou 80%

PUBLICADO EM: 5.5.21 | 13H15
ATUALIZAÇÃO: 5.5.21 | 13H19
Explosão da demanda por veículos elétricos e equipamentos de energia renovável vai exigir que a produção de minerais raros também aumente sensivelmente nos próximos anos e décadas
Baterias de lítio similares às que são utilizadas em carros elétricos: forte aumento da demanda pode não ser acompanhado pela alta da oferta

Baterias de lítio similares às que são utilizadas em carros elétricos: forte aumento da demanda pode não ser acompanhado pela alta da oferta

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 2MIN

A corrida por fatias cada vez maiores do mercado de carros elétricos e por energias renováveis vai exigir um aumento da produção tanto de minérios hoje já disponíveis em larga escala como dos chamados minerais raros. Isso se o mundo quiser de fato cumprir com as metas de redução da emissão de carbono nas próximas décadas.

O alerta foi dado pela Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) em relatório divulgado nesta quarta-feira, 5: "O Papel de Minerais Críticos na Transição para a Energia Limpa".

É uma referência a minérios e minerais como lítio, cobalto, níquel, cobre e outros que são encontrados com menor facilidade no mundo: eles são utilizados em baterias dos carros elétricos, em redes de transmissão e equipamentos de usinas de energia eólica, por exemplo.

Do ponto do investidor, esse cenário cria oportunidades de ganhos expressivos em cima de empresas produtoras ou de ativos que estejam indexados a esses minérios e minerais. Um exemplo são ETFs (os Exchange Traded Funds, ou fundos de índice, que acompanham as ações ou ativos em geral de determinados segmentos da economia).

O ETF VanEck Vectors Rare Earth/Strategic Metals (REMX) acumula valorização próxima a 80% nos últimos seis meses diante da demanda crescente e das perspectivas para o setor. Ele segue empresas produtoras de tais minerais.

Segundo o relatório da IEA, a demanda pelos tais "minerais críticos" pode crescer até seis vezes até 2040, a depender da disposição de governos em todo o mundo em acelerar e cumprir com as metas de redução da emissão de carbono.

Imagem da Editoria Exame Invest
Da Redação

Repórter da Exame


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame