ESG

Quer ter hábitos saudáveis? Novo programa vai te recompensar por isso

PUBLICADO EM: 10.6.21 | 12H22
Prudential e Vitality vão premiar a prática de atividades como caminhada e a melhor alimentação com descontos em serviços e produtos, a fim de promover mudanças de comportamento
Parque do Povo; Fitness; caminhadas, Vila Olimpia; Prédios Comercial

Parque do Povo, em São Paulo: novo programa pretende estimular hábitos como caminhada | Foto: Germano Lüders/EXAME

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e experiência em Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com



Compartilhe nas redes sociais
GUIA
Em alta

INVISTA 4MIN

Nem sempre as pessoas agem racionalmente e fazem as escolhas que são consideradas as mais apropriadas. Não gastar todo o salário e investir uma parte pensando em emergências ou no futuro é um exemplo. Outro é adotar hábitos saudáveis para ter uma saúde melhor, se sentir mais disposto e evitar doenças – levando ao aumento da produtividade e reduzindo despesas com saúde. Há inúmeros exemplos. Isso não significa, no entanto, que as pessoas não podem ser levadas a escolhas que vão beneficiá-las desde que tenham alguma motivação, ou a motivação certa.

Com base nessa premissa amplamente demonstrada pelo ramo da economia comportamental, a seguradora Prudential, em parceria com a Vitality, decidiu trazer ao Brasil um programa global que oferece recompensas para a prática de atividades e a melhora da alimentação, com impacto de saúde na vida de seus clientes.

“As pessoas estão desgastadas depois de mais de um ano de pandemia e não aguentam mais tanta pressão. O estresse cresceu. Uma ferramenta que motiva e recompensa hábitos melhores pode ter efeitos muito importantes para equilibrar a saúde”, afirmou David Legher, CEO da Prudential no Brasil, à EXAME Invest.

É um programa consagrado em outros 29 países pela Vitality, um grupo da África do Sul com atuação global há mais de duas décadas na promoção de melhores hábitos de vida, aliando a ciência de dados com princípios da economia comportamental.

Em média, os participantes do programa no mundo aumentaram suas atividades físicas em 34%, o equivalente a cinco dias a mais por mês, com reflexos no curto prazo mas também no aumento da expectativa de vida. As despesas com saúde dos participantes caíram 17% em média, enquanto a taxa de mortalidade caiu 61%.

Na África do Sul, onde o programa foi originalmente lançado, a expectativa de vida de quem aderiu ao programa saltou a 81 anos, acima dos 63 anos da população.

Há ganhos indiretos para a sociedade, como o aumento de produtividade e de geração de riqueza para a sociedade. Um estudo da Vitality com a Rand Europe, um instituto global de pesquisas, e a Apple calculou que se pessoas pouco ativas caminhassem ao menos 20 minutos por dia isso adicionaria dois anos e meio a mais na expectativa de vida e cerca de 220 bilhões de dólares no PIB mundial por ano.

O programa leva em conta que saúde e bem-estar estão relacionados principalmente com quatro doenças crônicas: respiratórias, cardiovascular, câncer e diabetes. Em todas, é possível melhorar a condição de saúde a partir do controle de quatro hábitos: atividades físicas, alimentação e consumo de álcool e fumo.

“O programa não é uma solução de estética ou para emagrecer nem busca que as pessoas se tornem atletas. É uma plataforma de bem-estar. Não precisa correr uma maratona. Qualquer pessoa consegue acumular passos caminhando 30 minutos por dia ou subindo de escada em casa ou no trabalho. Daí a ênfase dos pequenos hábitos”, disse Vivian Muniz, diretora de Produtos Digitais da Prudential.

Para a Prudential, maior empresa independente em seguro de vida no país, com cerca de 8% de participação de mercado, os ganhos se dão na melhora dos indicadores dos seus segurados, que passam a ter vidas mais saudáveis e a viver mais.

O lançamento do programa no Brasil demandou meses de estudo para adaptá-lo à realidade brasileira, tanto em termos de parâmetros de saúde como às recompensas.

Foi realizada uma pesquisa com consumidores para descobrir quais hábitos seriam mais factíveis e a quais recompensas teriam uma probabilidade maior de gerar engajamento. Houve um trabalho clínico com médicos para parametrizar e adequar os resultados.

No Brasil, as pessoas indicaram em pesquisas a preferência por descontos em redes de academias, em primeiro lugar; depois, em entretenimento e delivery de refeições. Para tanto, a Prudential acertou parcerias com a Ritual Gym, o Spotify e o iFood, respectivamente, para gerar vouchers de descontos.

São oferecidas também recompensas de médio e longo prazos, como cashback em dinheiro equivalente a uma faixa de 4% a 16% no prêmio do seguro de vida da Prudential ao fim do primeiro ano no programa.

“Montamos um novo portfólio com recompensas de que as pessoas podem usufruir em casa durante a pandemia”, disse Vivian Muniz.

O acompanhamento dos hábitos e do engajamento é virtual. O segurado baixa o aplicativo e preenche um questionário sobre seus hábitos de vida, incluindo os de atividade e alimentação: consumo de açúcar e sal, alimentos integrais etc.

O monitoramento da saúde, por sua vez, concentra-se em dois indicadores: a frequência cardíaca e a prática da atividade física em si, por meio do número de passos em aparelhos que façam a medição.

A expectativa da Prudential é que 20% de seus segurados estejam engajados ao fim do primeiro ano, o que é apontado como um resultado satisfatório dados os parâmetros globais do programa.

Foto de Marcelo Sakate da Editoria Exame Invest que escreveu o artigo
Marcelo Sakate

Editor da EXAME Invest, jornalista com MBA em Mercado de Capitais e experiência em Folha de S. Paulo, Veja, 6 Minutos e CNN Brasil | marcelo.sakate@exame.com


Compartilhe nas redes sociais
Mosaico do rodapé com as cores da Exame